Sexta, 24 de Novembro de 2017

Para 92% dos moradores de Dourados, Ari deve renunciar

13 SET 2010Por 13h:54
lidiane kober

Pesquisa do Ibrape realizada para o Correio do Estado aponta que 92% dos douradenses acham que o prefeito Ari Artuzi (sem partido) deve renunciar ao cargo diante das denúncias de irregularidades identificadas na Operação Uragano da Polícia Federal (PF). Apenas 4% dos entrevistados defendem a permanência de Artuzi na prefeitura e o mesmo percentual de pessoas preferiu não responder ao questionamento.
No último dia primeiro de setembro, o prefeito foi preso, acusado de chefiar esquema de fraudes em licitação e corrupção. Na mesma data, outras 27 pessoas foram detidas, entre elas nove vereadores, seis secretários municipais, servidores públicos, empresários e donos de empreiteiras. O dinheiro desviado, conforme a polícia, era utilizado por Artuzi para aquisição de bens pessoais, para fazer caixa de campanha e, ainda, para o pagamento de propina a vereadores tanto da situação quanto da oposição.
Até ontem, o prefeito ainda permancia na cadeia e, de acordo com a pesquisa, 82% dos douradenses acham que ele deve ser mantido preso. Por outro lado, 8% dos entrevistados consideram que Artuzi deveria ser solto imediatamente e 10% não opinaram.
Ainda conforme a pesquisa, 88% dos douradenses defendem a permanência do juiz Eduardo Rocha, diretor do Fórum do município, como prefeito do município. Já 8% dos entrevistados é contra deixar o comando da prefeitura nas mãos do magistrado e 6% não responderam.

Confiabilidade
Para 95% dos douradenses, as denúncias de corrupção e fraudes em licitação são verdadeiras. Apenas 3% dos entrevistados não acreditam nas informações e 2% não opinaram. A pesquisa também mostra que 99% dos moradores estão a par das irregularidades identificadas na Operação Uragano e só 1% dos entrevistados desconhece o teor das investigações.
O Ibrape ouviu, nos dias 8 e 9 de setembro, 386 douradenses no perímetro urbano do município, que incluiu 26 bairros. A margem de erro do levantamento é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Leia Também