Sábado, 18 de Novembro de 2017

Palmeiras volta a perder no Palestra Itália

20 MAR 2010Por 22h:00
     

        Da redação

        Depois de três vitórias consecutivas atuando longe de seus domínios, o Palmeiras voltou a atuar no Parque Antarctica e decepcionou novamente seu torcedor. Neste sábado, a equipe perdeu para a Ponte Preta por 2 a 0, em jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Paulista.

        Com o resultado, o time palmeirense praticamente deu adeus às chances de classificação para a semifinal da competição. A equipe alviverde soma 22 pontos --quatro a menos do que o Corinthians, quarto colocado e que entra em campo no domingo, quando enfrenta o Grêmio Prudente, fora de casa. A Ponte foi a 24.

        Antes da derrota para a Ponte Preta, o Palmeiras já há havia perdido em casa para São Caetano (4 a 1) e Santo André (3 a 1), empatado com Ituano (3 a 3) e Portuguesa (1 a 1). O time venceu apenas o Mogi Mirim (5 a 1) e o São Paulo (2 a 0), além do Sertãozinho (3 a 2), em jogo realizado na Arena Barueri.

        O resultado quebra uma sequência de três vitórias consecutivas conquistadas pelo Palmeiras. O time venceu o Sertãozinho (3 a 2), Santos (4 a 3) e Paysandu (2 a 1, pela Copa do Brasil). O revés também derruba um tabu de quase 30 anos sem derrota para o time de Campinas em jogos oficiais em casa pelo Campeonato Paulista. O último resultado negativo para o rival no Parque Antarctica foi em 1981, quando perdeu por 1 a 0.

        Neste sábado, o técnico Antônio Carlos entrou em campo com uma formação diferente da última quarta-feira, quando venceu o Paysandu por 2 a 1, pela partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil. Desta vez o treinador palmeirense promoveu o retorno do meia-atacante Cleiton Xavier, que começou no banco de reservas na última partida. Ele retornou no lugar de Lincoln, que sentiu dores musculares e não foi relacionado para o jogo.

        Robert e Pierre, que entraram durante o segundo tempo no duelo contra a equipe paraense, começaram jogando. O primeiro substituiu Lenny, enquanto o segundo entrou no lugar do lateral-direito Eduardo, suspenso. Com isso, Márcio Araújo foi deslocado para a lateral.

        As outras duas modificações foram o retorno do goleiro Marcos, recuperado de lesão, e o zagueiro Gualberto, revelado nas categorias de base do clube, que substituiu Léo, expulso contra o Santos.

 

        

        O jogo

        Motivado com as três vitórias consecutivas --duas pelo Campeonato Paulista e uma pela Copa do Brasil-- e contando com o apoio da torcida, que compareceu em bom número, o Palmeiras entrou em campo impondo um forte ritmo e pressionando a Ponte Preta desde o início da partida.

        A primeira oportunidade aconteceu aos 14min, quando Armero cruzou da esquerda e Cleiton Xavier, da entrada da grande área, cabeceou e Eduardo Martini espalmou para escanteio. Na sequência, o meia palmeirense cobrou escanteio e Danilo desviou de cabeça para ótima defesa do goleiro da equipe de Campinas.

        Depois de um começo empolgante, o Palmeiras começou a encontrar dificuldades para penetrar pela defesa da Ponte Preta, que acertou a marcação. O time visitante jogou com cinco jogadores no meio de campo e apenas Otacílio Neto isolado no ataque.

        No segundo tempo, o time palmeirense manteve o domínio territorial, no entanto, não conseguia criar e ameaçar o goleiro Eduardo Martini. A única boa chance aconteceu aos 12min, quando Robert recuperou a jogada na saída de bola, avançou, mas concluiu em cima de Martini.

        Com o passar do tempo, a equipe passou a errar muitos passes e caiu de produção. A Ponte Preta, que voltou com dois atacantes --Finazzi entrou no lugar de Fabiano Gadelha--, passou a arriscar um pouco mais. Com isso, abriu o placar. Aos 32min, após cobrança de escanteio, Finazzi acertou a trave. Na sobra, Diego concluiu para o gol e marcou: 1 a 0.

        Perdendo o jogo, o time se abalou e acabou sofrendo o segundo gol. Aos 38min, Finazzi aproveitou um cruzamento da esquerda e concluiu para o gol: 2 a 0.

        Nos acréscimos, a Ponte Preta ainda teve a chance de aumentar com Finazzi, que desperdiçou um pênalti --o goleiro Marcos defendeu. (informações da Folha)

Leia Também