Sexta, 24 de Novembro de 2017

Palmeiras busca liderança contra embalado Fluminense

7 NOV 2009Por 19h:30
     

        Da redação

        O Palmeiras já mostrou neste Campeonato Brasileiro que não se intimida com estádio lotado. De virada, bateu o Cruzeiro por 2 a 1, em pleno Mineirão. Neste domingo, às 16 horas, essa habilidade será posta à prova para retomar a liderança. O time alviverde encara um Maracanã com grande público, disposto a empurrar o embalado Fluminense para cima da tabela.
        Por coincidência, a animação do time carioca vem de uma virada sobre o mesmo Cruzeiro, na casa do rival. Reverteu dois gols de desvantagem, venceu por 3 a 2 e voltou a acreditar na fuga do rebaixamento. Já são seis jogos sem derrota no Brasileirão. A classificação às semifinais da Sul-Americana no meio de semana, após vitória heroica por 1 a 0 sobre o Universidad de Chile, em Santiago, só aumentou a esperança.
        A reação do Fluminense passa pelo atacante Fred, que marcou sete vezes nos últimos 7 jogos. "Temos de ter atenção com ele, é um goleador, perigoso dentro da área", advertiu o técnico palmeirense, Muricy Ramalho. "Mas não é só ele. Se ficar muito preocupado com um, pode sobrar para o Maicon, ou para o Conca, que arma jogadas".
        O clube alviverde não terá o goleiro Marcos, expulso no clássico contra o Corinthians, e o atacante Ortigoza, que levou o terceiro cartão amarelo. Volta ao time após suspensão o volante Sandro Silva, substituto do machucado Edmílson. A novidade está no banco: depois de 2 meses, o volante Pierre voltou a ser relacionado, mas dificilmente entrará em campo no Rio de Janeiro
        Um simples empate basta para que o time de Muricy passe o São Paulo no saldo de gols. No entanto, não garante a volta à liderança. Se o Atlético Mineiro bater o Flamengo, em Belo Horizonte, o time da casa assume a ponta. Por isso, a vitória sobre o Fluminense é encarada como uma necessidade. "É muito importante a vitória e esperamos conseguir", afirmou Muricy, que espera pressão dos donos da casa e admite jogar nos contra-ataques. "Empatar, para eles, é muito ruim".(informações do Estadão)
        
        

Leia Também