Sábado, 18 de Novembro de 2017

Pai de Michael diz que poderia ter evitado morte do cantor

20 SET 2009Por 13h:28
     

O patriarca da família Jackson, Joe Jackson, disse que poderia ter salvado a vida de Michael se os seguranças do cantor tivessem deixado os dois se aproximarem nas semanas anteriores à morte do cantor.

 Em entrevista publicada neste domingo (20) pela publicação alemã "Bild am Sonntag", o criador dos Jackson 5 disse que sabia que Michael tomava analgésicos fortes há 25 anos, desde que sofreu graves queimaduras durante as filmagens de um comercial de TV para uma marca de refrigerante.

 No entanto, foi o filho mais velho do cantor, Prince Michael, de 12 anos, que contou que o artista tinha marcas de agulha nos braços, prova de que estava sendo medicado por via intravenosa

 Joe, de 81 anos, contou que tentou de "tudo" para se aproximar do filho nas semanas anteriores à sua morte. Mas, assim que chegava à casa do músico, os seguranças o impediam de entrar. Um dia, até ligou para a polícia, revelou na entrevista.

 "A situação chegou a um ponto em que pensei: 'Vou até a casa, saco meu revólver e, a tiros, abro caminho até Michael'. Disse à minha mulher: 'Katherine, temos que tirar nosso menino daquela casa ou ele estará morto em uma semana'. Uma semana depois, estava morto", declarou.

 As informações são da Agência EFE

Leia Também