Sábado, 18 de Novembro de 2017

Oscilações no preço do álcool trazem prejuízos aos postos

20 ABR 2010Por 20h:50

VERA HALFEN

 

Antes mesmo de os postos de combustível começarem a repassar parte dos R$ 0,20 a mais em cada litro de álcool combustível, cobrados pelas distribuidoras na semana passada, a cotação do derivado da cana-de-açúcar, nas usinas, recuou 8,9%. "Compramos mais caro, ainda nem repassamos esse valor e a cotação na usina caiu. Como é que eu vou repassar o que paguei a mais, se o preço do álcool recuou de novo?", comenta o diretor técnico do Sinpetro, Alfredo Barros. Ele alega que o mercado do álcool não mantém preços estabilizados por determinados períodos, para que haja segurança dos revendedores em comprar e vender o produto, sem ficar no prejuízo. Para o diretor, enquanto não houver sustentação financeira para manter a normalização do mercado, os preços continuarão oscilando.

Barros frisa que neste tipo de situação, o proprietário do posto normalmente opta por bancar o prejuízo e não fazer o repasse, pelo menos integralmente, porque fica difícil explicar que pagou R$ até R$ 0,20 sobre cada litro de álcool, sendo que na semana seguinte, o preço na usina recua em 8,9%.

Em relação ao repasse imediato do reajuste, Barros acredita que as distribuidoras não tinham estoques e por conta disso, quando adquiriram o produto, ele estava com a cotação alta. Por conta dessa situação, o valor foi repassado imediatamente para os postos de combustível, que por sua vez, "seguraram" o repasse entre três e cinco dias, porque ainda tinham estoques comprados por preços mais baixos.

 

O que ocorreu

A cotação do álcool na usina, que estava em R$ 0,7698 (sem impostos) na primeira semana de abril, pulou para R$ 0,9139 no período de 5 a 9 do mesmo mês. A partir do dia 12, as distribuidoras – em período inferior a uma semana – venderam o produto aos postos com reajuste entre R$ 0,15 e R$ 0,20 sobre cada litro do combustível.

Porém, no período de 12 a 16 de abril, a cotação na usina caiu dos R$ 0,9139 para R$ 0,83232, recuando 8,9% no período.

Pesquisa

Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), referentes ao período de 11 a 17 de abril, apontam que o preço médio do álcool, em Mato Grosso do Sul, é de R$ 1,737 e da gasolina R$ 2,55, ou seja, abastecer com álcool é mais vantajoso. Para que o derivado da cana-de-açúcar seja mais econômico, é necessário que esse combustível tenha um preço inferior a 70% do preço da gasolina.

Leia Também