Segunda, 20 de Novembro de 2017

Orcírio e Lula definem dia para juntos pedirem votos em MS

20 JUL 2010Por 07h:19
lidiane kober

O ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) e o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) discutem esta semana em Brasília a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha em Mato Grosso do Sul e ainda pedirão o apoio da Força Nacional para fiscalizar as eleições estaduais. Segundo Orcírio, o presidente deverá visitar o Estado em agosto. Até lá, o plano é convencer Lula a tirar do governador André Puccinelli (PMDB) e entregar nas mãos dos municípios a coordenação das obras federais.

“A condução das ações não deve ficar nas mãos da oposição”, defendeu Dagoberto. “Até a última hora, o André prometia apoiar a Dilma (Rousseff), mas, na reta final, optou pelo José Serra (PSDB)”, completou. Para o deputado, que concorre na chapa de Orcírio a uma vaga de senador, a coordenação das obras federais deve ser entregue aos prefeitos. “Eles não estão disputando as eleições”, explicou. “Sem contar que o governador, aproveita-se dos investimentos da União para colher dividendos políticos”, continuou.

A conversa com o presidente deverá ocorrer entre hoje e quinta-feira. “Além de discutir as obras federais no Estado, vamos debater a agenda de Lula em Mato Grosso do Sul”, contou Dagoberto. “Ele virá em agosto”, adiantou Orcírio. Resta saber se o presidente visitará mais de uma vez o Estado, já que prometeu marcar presença em três cidades (Campo Grande, Dourados e Três Lagoas) durante a campanha. Também está na pauta a escolha de uma data para Lula gravar participações na propaganda eleitoral gratuita de Orcírio.

Força nacional
Ainda em Brasília, o petista apresentará ao ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, e ao diretor-geral da Política Federal, Luiz Fernando Corrêa, indícios de espionagem em sua campanha. “Vou me antecipar no caso de perceber alguma negligência ou omissão por parte da polícia estadual na investigação de eventual irregularidade na campanha”, frisou Orcírio.

Segundo o petista, quatro arrombamentos foram verificados em veículo de um dos seus coordenadores de campanha, além da presença de agentes policiais em suas caminhadas por bairros de Campo Grande. “Se perceber mais atos de intimidação e ameaça, vou solicitar o apoio da Força Nacional”, reiterou.
Ontem, Orcírio conversou com o secretário de Justiça do Estado, Vantuir Jacini, sobre seu temor em defrontar-se com irregularidades na campanha eleitoral.

Leia Também