Sábado, 25 de Novembro de 2017

Orçamento terá corte de R$ 21,8 bilhões

19 MAR 2010Por 06h:01
O Orçamento de 2010 sofrerá corte de R$ 21,8 bilhões. O valor do contingenciamento, o maior desde o início do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi divulgado ontem pelo Ministério do Planejamento. Para chegar ao total da verba bloqueada, o governo levou em consideração queda de R$ 17,7 bilhões na receita líquida e aumento de R$ 1,4 bilhão nas despesas obrigatórias. O m i n istério t ambém estimou aumento de R$ 3,9 bilhões no déficit da Previdência Social e alta de R$ 13 milhões no orçamento dos poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público. Devido à revisão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), de 5% para 5,2%, em 2010, a meta de superávit primário foi elevada em R$ 2,4 bilhões na comparação com o valor estabelecido no Orçamento Geral da União. O m i n i st ro do Pl a nejamento, Paulo Bernardo, ressaltou que os cortes não afetarão os programas socia is do governo. “O PAC ( Programa de Aceleração do Crescimento), i nvest imentos em saúde, educação, assistência não serão mex idos. Os cortes estão d i st r i bu ídos n a s out ra s áreas, incluindo emendas parlamentares”, afirmou. Segundo Paulo Bernardo, o corte mais expressivo foi em gastos com pessoal: R$ 1,4 bilhão. “Refizemos cálculos da projeção de salários e gasto com pessoal quando fizemos o plano de reestruturação de cargos, e reduzimos os gastos com isso”, afirmou. Paulo Bernardo explicou que apesar do crescimento da arrecadação de impostos e tributos federais – que, em fevereiro, somou R$ 53 bilhões, um recorde para o mês –, o corte nas despesas anunciado ontem deve-se à previsão de queda de quase R$ 18 bilhões na arrecadação para este ano.

Leia Também