Quinta, 23 de Novembro de 2017

Oposição acusa presidente do Irã de tentar dar golpe de Estado

14 JUN 2009Por 10h:14
Da redação

                 

A divulgação do resultado das eleições presidenciais iranianas, realizadas na última sexta-feira (12), levou os opositores do atual chefe de Estado do país, Mahmoud Ahamadinejad, a realizar uma série de protestos nas ruas de Teerã contra sua reeleição, com mais de 60% dos votos. O caos se espalhou pelas ruas da capital do país, a polícia reagiu tentando dispersar os manifestantes e dezenas de pessoas foram presas, incluindo, segundo relatos da imprensa israelense, o principal candidato da oposição, o ex-primeiro-ministro iraniano Mir Hussein Moussavi. No princípio, a reclamação era de que podia ter havido fraude na votação, e agora a oposição acusa o presidente de tentar dar um golpe de Estado.

 

"Eles criaram uma ditadura", disse, em entrevista ao britânico "The Nation, o ex-ministro das Relações Exteriores Ibrahim Yazdi, um dos principais nomes da dissidência no país. "Eles fraudaram a eleição", disse.

 

Segundo ele, ecoando o que foi alardeado pela campanha de Moussavi ao longo dos protestos no sábado, o pleito nacional foi marcado por irregularidades. Segundo o opositor, o governo não permitiu que os candidatos supervisionassem a contagem das cédulas, não divulgou os resultados por distrito, o que dificulta a checagem, criou uma série de urnas itinerantes, que podiam mudar de lugar. 

 

 

Com informações do Portal G1

                 

Leia Também