Sábado, 18 de Novembro de 2017

ONU apela para que lei sejam obedecidas por candidatos e eleitores no Haiti

23 AGO 2010Por 18h:15
     A três meses das eleições no Haiti, o comando da Missão de Estabilização das Nações Unidas no país (Minustah) apelou hoje (23) para que as leis eleitorais no país sejam respeitadas pelos candidatos e também pelos eleitores. A recomendação ocorreu no momento em que houve a divulgação dos nomes autorizados e dos vetos para as eleições presidenciais de novembro. As Nações Unidas informaram que garantirão o apoio técnico, logístico e de segurança para as eleições.

                        As informações são da Organização das Nações Unidas (ONU). A Comissão Eleitoral do Haiti divulgou no último fim de semana uma lista dos nomes dos 19 candidatos elegíveis para participar da corrida presidencial. Do total de 34 postulantes, 15 foram excluídos por não cumprir todos os requisitos.

                        Na lista de excluídos está o músico Wyclef Jean, de 37 anos, que anunciou que vai apelar à Justiça para obter a autorização para concorrer às eleições. O rapper nasceu no Haiti, mas foi criado nos Estados Unidos. É apontado como uma estrela do hip hop.

                        O comando da Minustah elogiou o processo democrático e a escolha, por meio de eleições diretas, do novo presidente do Haiti. Mas advertiu sobre a necessidade de obedecer as leis e garantir justiça e transparência no processo eleitoral.

                        ?A Minustah apela a todos os candidatos e partidos políticos, que participam nas eleições presidenciais e legislativas, que respeitem as leis e promovam entre seus membros os valores que permitam que essas eleições sejam realizadas num ambiente calmo e de respeito para os eleitores?, diz o comunicado oficial. O documento sugere ainda que todos os candidatos deem atenção especial aos moradores de rua.

                        Em 28 de novembro, os eleitores do Haiti vão às urnas escolher o presidente da República e também os parlamentares. Será a primeira eleição depois da catástrofe causada pelo terremoto de 12 de janeiro de 2010. O terremoto de 7 graus de magnitude na escala Richter matou mais de 220 mil pessoas no país.

                        O Haiti é alvo das preocupações da comunidade internacional por estar em processo de reconstrução física, política e econômica. Países, como o Brasil e os Estados Unidos, lideram campanha para colaborar com o Estado e o povo haitiano.
                        

Leia Também