Sábado, 18 de Novembro de 2017

Odilon reclama da Justiça Penal brasileira e da falta de "prevenção"

19 JUL 2010Por 11h:20
     Mais do que punições com unidades prisionais, o que falta ao Brasil é ?prevenção?. Pelo menos essa é a opinião do juiz da terceira vara federal, Odilon de Oliveira, que foi entrevistado de hoje do programa Bom Dia Mega, da Mega 94 FM. ?Falta prevenção, faltam escolas, faltam empregos, uma situação melhor para as pessoas?, afirmou. De acordo com ele, a população brasileira cresceu em média 12% nos últimos anos e enquanto isso, a carcerária teve um aumento de 103%. ?Alguma coisa está errada?, enfatizou lembrando que o sistema judiciário brasileiro não recupera ninguém.
        
        ?O sujeito fica lá cinco, dez anos na cadeia. Normalmente é um pobre coitado e quando sai da cadeia está ainda pior. Ele estará dez anos atrasado, a tecnologia evoluiu e ele não aprendeu nada. Ele vai sair em busca de emprego, mas a sociedade hipócrita, não vai dar e ele vai ter que sobreviver, o que é um direito natural do ser humano. Para isso, a pessoa volta a cometer os delitos e consequentemente, volta a cadeia?, disse durante a entrevista.
        O magistrado lembra que cada preso da unidade federal custa em média R$ 5 mil por mês aos cofres públicos. Já os presos estaduais gastam entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil. Com isso, o Brasil, que tem uma população carcerária de 463 mil detentos, chega a gastar em um único mês, o valor que corresponde a R$ 580 milhões, verba essa que poderia ser gasta na construção de escolas e de postos de saúde para a população. A América do Sul possui 753 mil presos, enquanto o Brasil, sozinho, tem 63% deste total.
        
        Para Odilon, o sistema ideal seria o de presídios escolas. Isso, segundo ele, poderia ser uma maneira de trazer o preso de volta a sociedade. ?Noventa e cinco por cento dos presos no Brasil vieram do pó da terra, são paupérrimos. Não achamos presos graúdos nas cadeias e quando isso acontece o juiz está sujeito a representações disciplinares?, afirmou. ?A justiça penitenciária no Brasil está falida. Não adianta prendermos uma legião de pobres sem que sejam ressocializados?, finalizou.
        

Leia Também