Segunda, 20 de Novembro de 2017

O envelhecimento

26 FEV 2010Por 00h:27
• 25 aos 35 anos
– Os hormônios ativadores das funções orgânicas (hormônio de crescimento,
produzido pela hipófise, DHEA, produzido pela suprarrenal, e
tiroxina, gerada pela tireóide) estão em seus níveis máximos;
– O risco cardiológico pode existir em consequência do sedentarismo,
que leva ao aumento do percentual de gordura e à atrofia muscular;
– É comum o surgimento de acnes e muita oleosidade na pele;
– A exposição ao sol causa riscos à saúde, podendo gerar até câncer.

• 35 aos 45 anos
Os níveis de DHEA começam a cair (até 20% nos homens e até 40%
nas mulheres);
– Nos últimos 20 anos, triplicou o número de mulheres que engravidam
durante a passagem por essa faixa etária, quando o risco de hipertensão
durante a gravidez é duas vezes maior;
– Inicia-se a perda da densidade óssea e aumenta as taxas de colesterol
e triglicérides nas pessoas que não têm cuidados alimentares e não
praticam atividades físicas regulares;
– Alterações nas fibras de colágeno e elastina provocam o início da
formação de rugas superficiais.

• 45 aos 55 anos
– Os níveis dos hormônios estimuladores das funções orgânicas caem
mais (o hormônio de crescimento cai 50% e o DHEA cai em até 40%;
no homem, a testosterona cai até 25%; nas mulheres, começa a menopausa);
– O hormônio cortizol, que causa declínio imunológico, neurológico e
aumento do depósito de gordura corporal, aumenta até 30%;
– A perda de massa óssea pode chegar a 0,3% ao ano, a memória e o
raciocínio declinam, os olhos perdem capacidade de focalizar objetos próximos
e há diminuição da capacidade de ouvir tonalidades muito agudas;
– Os sucos digestivos e a velocidade de trânsito intestinal começam
a diminuir.

• 55 aos 75 anos
– Os níveis hormonais e as funções orgânicas caem mais (o hormônio
de crescimento cai até 65% em relação ao jovem, os níveis de DHEA caem
50%, o hormônio da tireóide também se reduz e diminui a velocidade do
metabolismo);
– Nos homens, a testosterona chega a cair 55% e o volume do sêmen
diminui;
Nas mulheres, após a menopausa, a massa gorda aumenta até 35%.
A perda da massa óssea continua, gerando risco de osteoporose.

Leia Também