Sábado, 18 de Novembro de 2017

Organizar

O dinheiro tá curto? Especialista mostra como fazer o salário render até final do mês.

1 OUT 2010Por 12h:42

DA REDAÇÃO

 

Os cinco primeiros dias do mês são motivos de alegria para quase todos os trabalhadores deste nosso Brasil varonil. É entre o dia 1º e o dia 5 que a maioria de nós recebe nosso suado salário. Mas mal a grana entra na conta, já temos que pagar um monte de pendências – aluguel, condomínio, celular, gás, luz, água, cartão de crédito, sem contar na infinidade de impostos. É tão rápido que às vezes mal se vê a cor do dinheiro.

Esse é um mal que assola muita gente. Vai chegando o fim do mês, já não resta um centavo para comprar sorvete em dia de calor. Isso acontece, na maioria dos casos, com gente que não sabe organizar as próprias finanças.

É aí que surge a expertise de gente como Gustavo Cerbasi. Mestre em administração e finanças pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e em administração pública pela Fundação Getúlio Vargas (GV), Cerbasi é um dos grandes economistas de finanças pessoais do Brasil.

Vendo que muita gente se encontrava na situação acima descrita, o professor desenvolveu métodos eficazes para ensinar casais, estudantes, solteiros, idosos e todo tipo de gente a controlar os gastos e viver bem. Suas palestras e consultorias deram tão certo que ele já lançou 8 livros nos últimos 7 anos – o último, “Mais Tempo, Mais Dinheiro”, foi lançado no ano passado.

Em seus ensinamentos, Cerbasi explica a rotina de gastos básicos e eventuais, como usar o crédito, investimentos, como fazer as escolhas para garantir seu bem-estar e segurança, entre outras. Um dos livros do especialista, “Como organizar sua vida financeira” é um destes guias indispensáveis aos jovens consumidores e futuros investidores, que querem viver bem sem privar-se das baladas e barzinhos dos fins de semana, mas que também querem que sobre um dinheirinho no final do mês para investir no futuro – a casa nova, um empreendimento, o carro novo, viagens ou, até mesmo, um jantar ou compra mais extravagantes.

Leia Também