Sábado, 18 de Novembro de 2017

Número de assaltos a ônibus cresce 120%

19 FEV 2010Por 08h:30
Número de assaltos em Campo Grande aumenta 120% na comparação entre a média de ocorrências registradas em 2009 e em 2010. Enquanto no ano passado foram 48 assaltos por mês, em janeiro deste ano a quantidade saltou para 106 ocorrências — 3,4 casos por dia. Os roubos continuam acontecendo e assustam os trabalhadores. Na noite de quarta-feira, o motorista Francisco Veimar de Souza, de 58 anos, que fazia a linha Popular/Integração, foi esfaqueado por assaltante que se passou por passageiro. A vítima foi levada para a Santa Casa, passou por cirurgia e se recupera bem. Dados da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Assetur) indicam que em 2008 e 2009 a média de assaltos a ônibus foi de 48 ocorrências. Em 2007 eram 36 casos por mês. Os números são bastante superiores aos registrados no ano 2000, quando ocorreram 17 casos a cada 30 dias. De acordo com as estatísticas, o ano considerado mais tranquilo para as empresas e trabalhadores foi em 2006, quando ocorreram 138 casos no total (média de 12 por mês). Caso grave Grupo de motoristas e cobradores ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo de Campo Grande se reuniram, ontem pela manhã, na sede da entidade para reivindicar mudanças no sistema de cobrança das passagens e protestar contra a violência, que vitimou o cobrador Francisco de Souza, na noite de anteontem. O motorista passava pela Avenida Duque de Caxias, na região da saída para Aquidauana, quando um jovem que estava no ponto de ônibus fez sinal para o carro parar. Desconfiado, o profissional ficou em dúvida se pegaria ou não o passageiro e acabou parando um pouco distante. “O assaltante ficou irritado e já chegou ameaçando o motorista. Pediu o dinheiro e esfaqueou o motorista três vezes”, relatou o presidente interino do sindicato Francisco Valdenir de Oliveira. No boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil consta que a vítima foi atingida por dois golpes, um no abdome do lado direito e outro na antebraço esquerdo. No momento do assalto havia apenas um passageiro no veículo e foi ele quem ajudou a socorrer o motorista, que foi levado para a Santa Casa. Segundo o boletim, ele não corria risco de morrer. Também na noite de quarta- feira, outro veículo, que desta vez fazia a linha do Parque Lageado, foi assaltado. O motorista relatou que o autor teria aproximadamente 14 anos. Os criminosos, ao perceber que os motoristas evitavam parar em determinados pontos ao desconfiar da intenção dos supostos passageiros, estariam usando outras táticas. Mulheres com crianças ou pessoas com cadernos e livros seriam usadas como iscas para o veículo parar e, sem seguida, serem invadidos pelos assaltantes.

Leia Também