Sexta, 17 de Novembro de 2017

Nova estação de tratamento de esgoto atormenta 10 mil moradores

12 OUT 2008Por 20h:32
     

        Da redação

Uma população estimada em 10 mil habitantes, residente nos bairros Parque do Sol, Dom Antônio Barbosa, Jardim Colorado, Pênfigo e Parque Lajeado, desde junho, quando entrou em operação a Estação de Tratamento de Esgoto Los Angeles, construída pela Águas Guariroba na saída de Sidrolândia, passou a conviver com um ingrediente adicional no seu cotidiano de carências econômicas e de infra-estrutura, integrante da rotina desta que é uma das regiões mais carentes da Capital: o mau cheiro exalado pela ETE, que se soma à fumaça e (também) o odor que vem do lixão, localizado a menos de dois quilômetros, onde diariamente são despejadas 500 toneladas de lixo coletadas na cidade.

        Os moradores estão sentindo na pele, mais especificamente no nariz, que ainda é uma realidade distante a promessa da Águas Guariroba de que a estação construída ao custo de R$ 40 milhões teria tecnologia de operação tão avançada que a população do entorno não sofreria com o mau cheiro, que há décadas faz parte da rotina de quem reside na região do Cabreúva, Marcos Roberto/Cooaphama/Taquarussu/Jacy e dos conjuntos Aero Rancho e Mário Covas, onde funcionam estações de tratamento de esgoto construídas na época em que o saneamento na Capital era operado pela empresa estatal Sanesul.

Leia Também