Domingo, 19 de Novembro de 2017

Nota fiscal eletrônica será adotada por mais 800 empresas

2 ABR 2010Por 23h:02
Rosana Siqueira
 
Cerca de 800 empresas de vários segmentos estão obrigadas desde ontem a emitir Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Os estabelecimentos são fabricantes de produtos de carne, sorvetes, acúçar, chocolates, frutas cristalizadas, embalagens, fraldas, tijolos, máquinas e equipamentos para uso industrial, entre outros, além de atacadistas de mercadorias em geral (mesmo sem predominância de alimentos ou insumos agropecuários), peças e acessórios novos para veículos automotores e motocicletas, pneus, aparelhos eletrônicos, aparelhos de informática, aparelhos de telefonia e comunicação, embalagens, sucatas e outros.

“Se essas empresas estiverem transitando com nota fiscal modelo 1 (papel), a nota será desclassificada. A empresa será autuada e multada”, afirma o coordenador geral de Modernização e Inteligência Fiscal da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), Valgney Cherri Ishimi.

O coordenador destaca que a NF-e se destina a estabelecimentos industriais, fabricantes e atacadistas. Segundo ele, as empresas de varejo, com exceção da venda de veículos novos, não estão alcançadas pela Nota Fiscal Eletrônica, a não ser que também exerçam alguma das atividades obrigadas, por exemplo, empresa que é ao mesmo tempo varejista e atacadista.

De acordo com Ishimi, atualmente são emitidas em média um milhão de notas fiscais eletrônicas por mês, em Mato Grosso do Sul.  A implantação da NF-e no Estado ocorreu em abril de 2008. Neste ano, serão três datas de obrigatoriedade para novos segmentos: 1º de abril; 1º de julho e 1º de outubro. Em 1º de dezembro, todas as empresas que fazem operações interestaduais ou vendas para órgãos públicos da administração direta ou indireta dos municípios, Estado ou União serão obrigadas a emitir a NF-e.

Leia Também