Sábado, 18 de Novembro de 2017

Nelsinho participa de Congresso do Centro Ibero-Americano de Desenvolvimento Urbano

27 JUL 2010Por 23h:45
     

Campo Grande é um dos novos integrantes da Rede de Cidades do Centro Ibero-Americano de Desenvolvimento Estratégico Urbano (CIDEU) e participará do XVIII Congresso da entidade que acontece dos dias 28 a 30 de julho, em Belo Horizonte, reunindo diversos países e suas experiências.

Na ocasião, o prefeito Nelsinho Trad comporá a mesas de prefeitos junto com Miguel Lifschitz (Rosario - Argentina), Marcio Araujo de Lacerda (Belo Horizonte), Emilio Grateron (município de Chacao/ Venezuela), Blanca M. Alcalá Ruiz (Zaragoza - México) e Antonio Ledezma (Caracas - Venezuela).

Nelsinho estará acompanhado da diretora-presidente do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), Marta Lúcia da Silva Martinez e da coordenadora da Unidade Especial de Criação e Inovação de Campo Grande, Edna Antonelli que participarão das mesas técnicas.

O Congresso do Centro Ibero-Americano será marcado pelo tema central "Inovação e Criatividade na Cidade", que terá o embaixador Samuel Pinheiro, Ministro Chefe de Assuntos Estratégicos do Brasil, como palestrante. Durante os três dias de Congresso, estarão em pauta discussões que permeiam questões práticas relacionadas às ações geradoras de inovação na gestão da cidade, à inovação e planos estratégicos das cidades, às novas soluções em relação ao meio ambiente, espaço urbano e sociedade, aos canais e agentes promotores da criatividade e os ambientes empreendedores.

De acordo com o prefeito, fazer parte desta Rede de Cidades com municípios em pleno desenvolvimento urbano, social e econômico é sinônimo de fortalecimento para as administrações públicas no país, no que diz respeito à continuidade de projetos e no surgimento de ações concretas. "Passamos a compartilhar informações das cidades ibero-americanas, um passo importante para nossa cidade", justifica.

Nelsinho Trad ressalta que com o planejamento, o crescimento ordenado e a participação na Rede de Cidades do CIDEU, Campo Grande está no caminho certo para o sucesso das ações em andamento e ainda a serem empreendidas. Segundo o prefeito, o intercâmbio e a elaboração de planos estratégicos locais e regionais calcados na troca de experiências de diversas cidades integrantes da Rede vão propiciar benefícios para todos os participantes.

 

Experiências de Campo Grande

Fazer parte do CIDEU será também sinônimo de troca de muitas experiências implementadas e em fase de execução em Campo Grande. Entre os exemplos estão a inovação no ensino-aprendizagem com o entrosamento dos alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino) com novas mídias e tecnologias, a inclusão digital com telecentros, salas de informática nas escolas e o projeto Computadores para Inclusão que capacita jovens para manutenção de máquinas e melhor entendimento destas tecnologias.

Na área de política urbana, Campo Grande conta com diversos projetos em desenvolvimento. Entre as ações implementadas destacam-se os parques lineares do Cabaça, do Imbirussu/Serradinho, do Segredo e do Lagoa ? que levam o nome dos córregos correspondentes ? o Centro de Belas Artes, a Casa da Memória da Ferrovia, a Orla Morena e Orla Ferroviária, com novas ruas e avenidas, interligando bairros, criando circuitos culturais e de lazer e reestruturando o antigo trecho antes ocupado pelos trilhos.

Outro exemplo inovador em desenvolvimento urbano consiste na revitalização do centro da cidade, na sua área de interesse cultural e histórico a partir do Plano Local de Revitalização das Zonas Especiais de Interesse Cultural do Centro, discutido com a sociedade e transformado em Lei em 20 de julho deste ano. De acordo com a diretora- presidente do Planurb, Marta Martinez, a revitalização dessa área representa o fortalecimento do turismo, do comércio e serviços, o estímulo ao crescimento econômico e inclusão social, acessibilidade e reestruturação na iluminação, com fiação elétrica subterrânea, mobilidade urbana, despoluição visual e sonora, arborização compatível e segurança. "Revitalizar o centro da cidade vai significar o fortalecimento da identidade cultural de Campo Grande".

                A gestão democrática é outro exemplo na área de desenvolvimento urbano de Campo Grande que tem, na prática, muito a oferecer. Para a titular do Planurb, muitas das ações implementadas pela prefeitura surgiram da própria população que tem voz ativa por meio dos Conselhos Regionais, criados em 1998 pelo Plano Diretor de Campo Grande. "A gestão democrática prossegue com os demais componentes do Sistema Municipal de Planejamento, como o Conselho Municipal de Desenvolvimento e Urbanização (CMDU), que já existe há mais de 20 anos na nossa cidade e os conselhos municipais", explica Marta Martinez.

Leia Também