Sexta, 24 de Novembro de 2017

Nelsinho já pede votos em favor de Dilma Rousseff

8 JUL 2010Por 08h:09
Fernanda Brigatti

O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) já está pedindo votos para sua candidata a presidente, a petista Dilma Rousseff. Ao mesmo tempo, seu companheiro de partido e candidato à reeleição André Puccinelli ainda não foi visto pedindo votos para o principal adversário da ex-ministra, o tucano José Serra. O empenho de Nelsinho com a candidata à Presidência não teria incomodado o governador.
Puccinelli só dá início à campanha na manhã de hoje, com a realização de um ato religioso no comitê eleitoral da coligação Trabalho Amor e Fé. Às 8 horas, ele reúne os candidatos da coligação formada por 14 partidos, militantes e líderes religiosos.
Até a realização desse evento, Puccinelli não vinha pedindo votos nem mesmo para sua reeleição. O apoio do governador a José Serra, contrariando a coligação nacional do PMDB com o PT, foi estratégico, a fim de evitar que o PSDB de Mato Grosso do Sul tivesse candidato ao governo. O lançamento de um tucano no Estado garantiria palanque para o candidato a presidente do PSDB, mas enfraqueceria o peemedebista.
Nelsinho Trad, por outro lado, foi o primeiro peemedebista de Mato Grosso do Sul a declarar apoio irrestrito à eleição da candidata apoiada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ontem, o prefeito disse que já pediu votos à petista, “no chão”.
Ele vem sendo seguido por outros peemedebistas, como o vereador Paulo Siufi, presidente da Câmara de Campo Grande, o deputado federal Nelson Trad e o senador Valter Pereira. Esse último chegou a participar e discursar na convenção do PDT, que homologou a coligação com o PT em Mato Grosso do Sul. O vice-prefeito Edil Albuquerque, candidato a suplente de senador na chapa do vice-governador Murilo Zauith (DEM), também trabalha pela vitória da petista.
Os “dilmistas” garantem que o governador não se incomoda com a campanha para a candidata petista. Publicamente, Puccinelli tentou, mais de uma vez, enquadrar Nelsinho, chegando a anunciar o apoio do prefeito a José Serra. Ele não recuou e ainda pediu respeito a sua decisão de apoiar Dilma.

Leia Também