Sábado, 18 de Novembro de 2017

Nelsinho aconselha André a apoiar candidatura de Dilma

23 FEV 2010Por 03h:52
Para evitar a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de José Orcírio dos Santos (PT) à sucessão estadual, o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), aconselhou o governador André Puccinelli (PMDB) a apoiar a candidatura da ministra- chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. O governador ficou de pensar no caso. Lula deixou claro a Nelsinho que virá a Mato Grosso do Sul fazer corpo a corpo e comício para José Orcírio se André apoiar o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), à Presidência da República. Nelsinho declarou ontem que caberá a Puccinelli decidir o melhor caminho na próxima campanha eleitoral. André não tem dúvida do efeito do peso político-eleitoral do presidente Lula na campanha do seu adversário José Orcírio. Em Três Lagoas, durante visita à fábrica de papel e celulose, o governador declarou a sua disposição de caminhar ao lado do presidente na campanha eleitoral. A sua decisão, no entanto, está dependendo do desfecho de alguns fatores, como a aprovação na convenção nacional da aliança do PMDB com o PT e a retirada da candidatura de José Orcírio da disputa pelo Governo do Estado. A tendência é de o PMDB fazer aliança com o PT indicando, inclusive, o vice de Dilma. O nome mais cotado é o do presidente nacional do partido, deputado federal Michel Temer (SP), que tem ótima relação com André. Lula comentou com Nelsinho, durante voo de Brasília a Três Lagoas, que não vai pedir a José Orcírio a desistência de concorrer à eleição. Ele sabe também que a candidatura do petista pode atrapalhar a reeleição de André Puccinelli. O presidente reforçou o seu propósito de ficar neutro na campanha eleitoral em Mato Grosso do Sul se André ficar com Dilma. Ele aceita dois palanques para a ministra, porém não vai ficar calado se o governador apoiar a candidatura de José Serra na corrida presidencial. Nelsinho deu recado de Lula a André. O governador recebeu o aviso do presidente com apreensão. Ele não gostaria, evidentemente, de vê-lo engajado na campanha do seu maior rival na sucessão estadual. Mas também não gostaria de tomar decisão precipitada antes de saber como ficará José Serra na disputa presidencial. Por isso, o seu desejo é definir o futuro na campanha até dia 31 de março. Além de enfrentar José Orcírio, tendo ao seu lado o presidente Lula, o governador poderá ter o PSDB combatendo a sua reeleição se montar palanque para Dilma. Se André ainda está indefinido, o prefeito Nelsinho Trad é uma das grandes lideranças do PMDB que fecharam com a candidatura de Dilma. Ele é hoje o político peemedebista com maior acesso ao Planalto, tem o respeito e admiração de Lula e é grande amigo da ministra- chefe da Casa Civil.

Leia Também