Segunda, 20 de Novembro de 2017

Não deixe a piscina virar criadouro de mosquito

16 ABR 2010Por 02h:28
Com o fim do verão, proprietários de piscinas muitas vezes relaxam com o tratamento da água. Mas o não tratamento das piscinas pode transformá-las em criadouros do mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

“O abandono do tratamento das piscinas pode resultar no agravamento dos casos de dengue para o verão seguinte, porque impulsionam o crescimento da população de mosquitos”, lembra Martim Penna, da Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados – Abiclor. O cloro utilizado na desinfecção da água, além de torná-la própria para banho, impede o desenvolvimento das larvas do mosquito.

Um estudo realizado, a pedido da entidade, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), com o objetivo de avaliar o efeito do cloro sobre as larvas do mosquito da dengue em águas de piscinas, revelou que o uso de hipoclorito de sódio (derivado do cloro usado no tratamento de piscinas) interfere na metamorfose da larva, impedindo que ela se desenvolva e chegue à fase adulta. De acordo com o estudo, a eficácia do cloro está no fato de o produto atrasar o processo de troca de pele, o que acaba por acarretar indiretamente a morte das larvas. Fonte: Informações da campanha “Piscina limpa”, site www.piscinalimpa.net

Leia Também