Terça, 21 de Novembro de 2017

Nanicos fogem dos grandes partidos na hora de compor chapas proporcionais

31 MAI 2010Por 08h:48
Na tentativa de eleger deputados, os partidos nanicos rejeitam participar de coligações em que estejam grandes siglas, ainda que se aliem a elas na disputa pelo Governo do Estado. Isso significa não estar junto de PMDB, PSDB, DEM, PR, PT E PP nas chapas proporcionais - aquelas que concorrem com candidatos a deputado federal e estadual. Em uma aliança com esses partidos, a avaliação dos nanicos é que seus candidatos viram cabos eleitorais dos maiores.

Integrando o rol dos nanicos, o PSB vai escolher seu lado nas eleições deste ano com base na melhor condição para eleição de deputados. Sem projeto de candidatura própria nacional ou estadual, o partido definiu como prioritária, em Mato Grosso do Sul, a eleição de um deputado federal e pelo menos dois a três estaduais.

O PMN, que em 2006 esteve na aliança proporcional ao lado do PMDB, PSDB, DEM e PR, aguarda determinação do comando nacional, mas segundo o presidente regional do partido, Adalto Garcia, o diretório de Mato Grosso do Sul apresentará, na convenção, a proposta de candidatura própria e chapas puras proporcionais. “Agora, se eles entenderem que isso é muito caro, nós vamos ver, baseado na decisão da nacional”. A única definição, até agora, é o apoio ao pré-candidato do PSDB, o ex-governador de São Paulo, José Serra. Segundo Adalto Garcia, o PMN já tem chapa com condições de eleger deputado estadual e federal.

Quem também cogita candidatura própria e chapa pura é o PSDC de Mato Grosso do Sul. Mesmo descartando a possibilidade de o eleitorado preferir nomes novos à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa. “O Zeca (Orcírio) nunca teve carinho com o PSDC, e não temos cargos no governo. Não temos outra saída a não ser questionar a necessidade de novas lideranças no Estado”, afirmou o presidente regional do partido, Elizeu Amarilha. “Somos realistas, acho que não (temos chances de eleger deputados), mas dificilmente vamos mudar de posição”, disse.

Para partidos como PSB e PCdoB, mesmo que confirmem alianças - o PCdoB cogita lançar candidatura própria, mas também negocia com Orcírio -, devem optar por coligações com partidos menores na disputa por vagas a Assembleia, ou não terão chances. Na eleição passada, duas coligações formadas por nanicos elegeram deputados estaduais. Professor Rinaldo (PSDB) e Márcio Fernandes (PTdoB), na época integravam, respectivamente, PTdoB e PRTB, e se elegeram pela coligação que ainda tinha PSC, PPS, PAN e PMN. A outra, formada por PSB, PP, PCdoB, PHS, PTN e PRP, elegeu Cel Ivan (PRTB), antes filiado ao PSB. (FB)

Leia Também