Quarta, 22 de Novembro de 2017

Na volta de Kaká, Brasil goleia a Venezuela

12 OUT 2008Por 19h:46
     

        Da redação

        Com muita tranqüilidade, a seleção brasileira goleou a Venezuela fora de casa por 4 a 0 neste domingo e manteve a vice-liderança das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. A partida no Estádio Pueblo Nuevo, em San Cristóbal, foi válida pela nona rodada da competição, a última do primeiro turno.
        O resultado deixa o Brasil com 16 pontos, quatro a menos do que o líder Paraguai. Já a Venezuela é a nona e penúltima colocada, com apenas sete pontos ganhos até o momento. As quatro melhores seleções ao término das 18 rodadas se classificarão para o Mundial da África do Sul, sendo que a quinta na tabela ainda terá direito de disputar uma repescagem.
        O confronto deste domingo foi fácil desde o início para os comandados do técnico Dunga. O toque de qualidade no meio-campo devido a volta do craque Kaká (não jogava pelo Brasil desde novembro de 2007), eleito no ano passado pela Fifa o melhor jogador do mundo, pôde ser sentida nos primeiros instantes do jogo.
        Logo aos cinco minutos, o atleta do Milan recebeu bom passe de Robinho e, com muita objetividade, invadiu a área e chutou cruzado, sem nenhuma chance de defesa para o goleiro Vega. A vantagem no marcador deu tranqüilidade aos jogadores brasileiros, que conseguiram manter um bom ritmo na partida.
        Quando os venezuelanos ainda tentavam assimilar o primeiro gol, veio o segundo, aos nove minutos. Em jogada individual, Robinho arriscou forte da entrada da área e acertou o ângulo: 2 a 0. Com menos de 10 minutos, o triunfo do Brasil estava praticamente decidido.
        Perdida em campo, a Venezuela apenas assistia o Brasil jogar e mal conseguia se aproximar da área de Júlio César. Para piorar a situação dos mandantes, o terceiro gol veio aos 18 minutos, com Adriano, que não balançava as redes pela seleção desde 2006.
        Em mais uma bela jogada de Kaká, ele tocou para Elano na esquerda, que cruzou rasteiro nos pés do 'Imperador'. O jogador da Inter de Milão bateu forte e Vega mais uma vez teve que ir buscar a bola no fundo do gol.
        A tranqüilidade em campo fez a seleção brasileira claramente diminuir o ritmo. O time da casa partiu para o ataque e os comandados de Dunga passaram a encontrar mais espaço para tocar a bola e administrar o marcador. O lance mais perigoso da Venezuela na etapa inicial aconteceu já aos 43 minutos, quando Maldonado cruzou e Arango cabeceou para o corte do zagueiro Lúcio.
        No segundo tempo, a Venezuela voltou com mais força ofensiva e chegou a perder duas oportunidades com o atacante Maldonado. Em tarde inspirada, o goleiro brasileiro Júlio César pegou um cabeceio e um chute à queima roupa em seqüência, aos sete minutos. Aos 15, o goleiro mais uma vez se esticou para fazer grande defesa em disparo do atacante venezuelano dentro da área.
        Apesar da maior atenção defensiva, o Brasil não abdicou de atacar, tanto que antes do quarto gol chegou a desperdiçar duas chances incríveis, na cara do gol, uma com Kaká e outra com Robinho.
        Mas, aos 21 minutos, após receber passe perfeito de Kléber, o craque do Manchester City não deu chance para o azar. Na grande área e sem marcação, ele bateu colocado, no canto do goleiro Vega.
        Com o triunfo mais do que garantido, o treinador resolveu colocar em campo Alex, do Internacional, que pela primeira vez vestiu a camisa da seleção. Ele entrou no lugar de Kaká. Depois disso, Mancini, convocado pela primeira vez na 'era Dunga', substituiu Josué. O jogo seguiu sem lances mais perigosos até o apito final do árbitro.
        O Brasil volta a campo pelas Eliminatórias na próxima quarta-feira para encarar a Colômbia no Maracanã. No mesmo dia, a Venezuela recebe o Equador. (informações do Estadão)
        

Leia Também