Domingo, 19 de Novembro de 2017

SEUS DIREITOS

Na Europa, brasileiro é o mais barrado em aeroportos; evite a situação e o prejuízo!

13 SET 2010Por 15h:05

 

INFOMONEY

Imagine planejar toda uma viagem, gastar para comprar passagem aérea, para alugar automóveis, reservar hotel e fazer passeios, mas não chegar ao destino. Pois saiba que esta foi a realidade para 1.842 brasileiros no primeiro trimestre deste ano, os quais pretendiam ingressar em algum país da Europa, mas foram barrados.
Dados da agência europeia que controla as fronteiras, chamada de Frontex, mostram que os brasileiros foram os mais barrados nos aeroportos do continente no período em questão, com mais do que o dobro de pessoas impedidas de entrar do que o segundo colocado, os Estados Unidos, com 599 pessoas.
Para se ter uma ideia, houve uma alta de 6,6% no número de brasileiros barrados nos aeroportos europeus de janeiro a março, frente aos três meses imediatamente anteriores. Quando analisadas todas as pessoas barradas no transporte aéreo, que somaram 12.777, houve queda de 0,3% no período em questão.

Para não ser barrado...
Para quem não quer ser impedido de entrar no país, o que acaba acarretando em um grande prejuízo. Confira abaixo algumas dicas:
- O passaporte vai vencer? Verifique a validade, pois alguns países limitam, por exemplo, a entrada de estrangeiros com passaportes com menos de seis meses de validade. A Polícia Federal (www.dpf.gov.br) é responsável por emiti-lo.  
- Vai precisar de visto? A permissão só é dada quando o país sabe exatamente qual o objetivo da viagem, o que é bastante rigoroso para que se possa combater diversos crimes internacionais. Alguns países não exigem visto de entrada quando o objetivo é turismo, mas impõem um limite de tempo de permanência em terras estrangeiras. Isso acontece, por exemplo, na Europa.  
- Qual o objetivo? Em situações em que o visto não é concedido, é bom o viajante tentar levar o máximo de documentos que comprovem qual o seu objetivo naquele país. Por exemplo: se você está indo fazer um intercâmbio, peça a comprovação de matrícula da escola e o endereço de onde irá ficar durante a viagem, bem como um telefone para contato.
- Quando irá voltar? Quando for comprar a passagem aérea, você irá adquirir a ida e a volta. Ande com o comprovante de compra do tíquete da volta, para que o país estrangeiro veja que você tem a intenção de voltar para o país de origem. Isso diminui os riscos de você voltar para a casa antes mesmo de pisar em terras estrangeiras.
- Contratou seguro? Quem pretende viajar também tem de atentar à contratação de um seguro de saúde, exigido em alguns países da Europa, que fazem parte do tratado de Schengen (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Suécia), que pedem uma apólice com cobertura mínima para permitir a entrada do turista.
- Você tem dinheiro no bolso? Leve dinheiro em espécie. Para quem leva VTM (Visa Travel Money) e cartão de crédito, o extrato pode comprovar a quantia que se tem em dinheiro, mas não elimina a necessidade de ter algo em espécie.

Leia Também