Sexta, 17 de Novembro de 2017

Murilo deve ceder a pressão e disputar vaga ao Senado

1 ABR 2010Por lidiane kober20h:51

Depois de três horas de conversa com o governador André Puccinelli (PMDB), o vice-governador Murilo Zauith (DEM) mostrou-se disposto a ceder a pressão e entrar na disputa por vaga de senador. Ele se encorajou no momento que percebeu "boa vontade do André em atender minhas condições". Murilo recebeu a garantia de empenho do governador em sua campanha, ganhou compromisso de apoio aos candidatos da chapa proporcional do DEM e Puccinelli prometeu indicar uma "importante liderança da Capital" como seu primeiro-suplente.

A reunião entre os dois aconteceu no final da manhã de ontem, com a presença do deputado estadual Zé Teixeira (DEM), do vereador Aírton Saraiva (DEM) e do presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa (DEM). "Agora, a chance de eu disputar é grande", revelou Murilo.

O medo do vice-governador reside em entrar na disputa em condições desiguais. Ele suspeita da traição de lideranças do PMDB, inclinadas a apoiar a "dobradinha" do deputado federal Waldemir Moka (PMDB) com o senador Delcídio do Amaral (PMDB). Também o preocupava a preferência de Puccinelli pela eleição de Moka. "Senti que as coisas mudaram, pois percebi a perseverança do André pela minha candidatura e a boa vontade em atender minhas condições", disse Murilo.

Segundo ele, Puccinelli não abre mão de sua candidatura ao Senado. "Ele (André) não quer deixar um vazio na região da Grande Dourados", explicou. "E não tem melhor pessoa para representar a região do que o Murilo", destacou Saraiva.

Em troca da candidatura do democrata ao Senado, o governador prometeu estudar um bom nome para ser o primeiro-suplente de Murilo. "Vai ser uma grande liderança da Capital", adiantou Zé Teixeira. Conforme ele, Puccinelli recebeu sugestões e pediu um tempo para viabilizar a indicação.

Recentemente, o vice-governador propôs os nomes do secretário de Habitação, Carlos Marun (PMDB), ou o de Obras, Edson Giroto (PR), porém ambos não aceitaram abrir mão de seus projetos políticos. "Vai ser uma pessoa com a mesma popularidade do Marun", comentou Murilo, sem dar mais detalhes.

Também incentivou o democrata a participar da chapa majoritária do PMDB o compromisso de o governador ajudá-lo na campanha. "Ele ficou de se empenhar muito", contou Murilo. Além disso, ele recebeu a garantia de apoio aos candidatos a deputado estadual e federal do DEM.

Ao ser indagado se Puccinelli conversaria com lideranças do PMDB decididas a apoiar a "dobradinha" de Moka com Delcídio, Murilo explicou que isso não cabe ao governador. "Eu é que tenho a obrigação de procurar os prefeitos e convencê-los a me apoiar", afirmou. "E com certeza vou visitar todos os prefeitos", concluiu.

Hoje, Murilo pretende convocar toda a imprensa para oficializar sua candidatura ao Senado e revelar o nome de seu primeiro-suplente.

Leia Também