Sexta, 24 de Novembro de 2017

Mulheres do MST encerram evento e entregam reivindicações no Incra

9 MAR 2010Por 08h:40
Cerca de 200 - das 300 mu l heres acampad as no Conjunto Habitacional Coophavila II, desde a última sexta-feira – ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), entregaram na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Campo Grande, a pauta de reivindicações do encontro realizado para as comemorações do Dia da Mulher. Antes, as mulheres que representavam os assentamentos de todo o Estado, participaram de uma marcha na Avenida Afonso Pena – ação que foi repetida em todo o Brasil pelo MST. A entrega da pauta marcou o fim do encontro de três dias. Entre as reivindicações está a readequação das normas de crédito para as assentadas. “Somente as mulheres que estão em assentamentos que nasceram depois do ano 2000 é que podem ter acesso ao crédito. Queremos que este prazo seja estendido para assentamentos de anos anteriores”, apontou Laura dos Santos, uma das organizadoras do encontro em Mato Grosso do Sul. Saúde A saúde também foi alvo das discussões durante o encontro do fim de semana no acampamento montado no Conjunto Coophavila II. No documento entregue ontem no Incra, consta o pedido de instalação do posto de saúde familiar para ampliação no atendimento dos assentados. “O governo federal tem o programa de saúde familiar, mas poucos médicos vão aos assentamentos. O que acaba ocorrendo é a gente ter de vir às cidades, quando isso é possível, e lotar ainda mais os postos de saúde daqui”, aponta Sandra Procópio, outra organizadora. Na área de educação, bastante discutida durante o encontro, as reivindicações envolvem grade curricular com disciplinas voltadas para a realidade do campo, criação do curso técnico agrícola para escolarização dos jovens e adultos dos assentamentos e acampamentos. (MR)

Leia Também