Sábado, 25 de Novembro de 2017

Mudança da tarifa de Itaipu seria repassada ao consumidor

23 ABR 2008Por 15h:04
     

         

         

        O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, defende a manutenção das condições atuais do Tratado de Itaipu, que está sendo questionado pelo presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo.

        Tolmasquim disse que é preciso respeitar os contratos e os acordos entre os dois países, que foi aprovado pelos Congressos do Brasil e do Paraguai. As tarifas atuais também devem ser mantidas, pois um aumento do preço da energia seria repassado ao consumidor "e isso não seria justo", diz.

        Outro argumento citado por Tolmasquim para não modificar as tarifas atuais é que o Brasil precisa pagar a dívida que contraiu para construir a hidrelétrica. O presidente da EPE disse que a usina foi construída apenas com recursos do Tesouro brasileiro. "O projeto custou US$ 12 bilhões e o Paraguai entrou com US$ 50 milhões, financiados pelo Banco do Brasil. "Houve endividamento do Tesouro Nacional e da Eletrobrás". Com informações do  site G1.

Leia Também