Domingo, 19 de Novembro de 2017

MS tem o terceiro voto mais caro do Brasil

21 JUL 2010Por 20h:48
Fernanda Brigatti

O custo das campanhas proporcionais, em Mato Grosso do Sul, coloca o eleitorado do Estado como o terceiro voto mais caro do Brasil, perdendo apenas para Roraima e para o Distrito Federal. Para eleger um deputado estadual, os partidos gastarão o equivalente a R$ 13,8 por voto.
Esse número é utilizado para balizar o trabalho dos comitês financeiros na arrecadação de recursos. O voto mais caro do Brasil é o de Roraima, segundo informação divulgada ontem pela Folha de S.Paulo, que custa R$ 28 por eleitor, seguido pelo Distrito Federal, com R$ 14. O valor é definido pela divisão do valor das campanhas sobre o eleitorado. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o eleitorado sul-mato-grossense está em 1.702.511.
Em Mato Grosso do Sul, o PT prevê gastar R$ 3 milhões para eleger deputados federais e R$ 1,5 milhão para estaduais. Já o PMDB declarou um teto de R$ 2 milhões na corrida para preencher pelo menos duas vagas na Câmara dos Deputados e R$ 1,5 milhão para manter a bancada na Assembleia Legislativa. O PSOL declarou ao TRE que investirá até R$ 250 mil nas campanhas proporcionais neste ano.
A Justiça Eleitoral não especifica teto máximo, nem mínimo para cada candidato gastar.

Leia Também