Quinta, 23 de Novembro de 2017

MS diz qual é o grupo que apresenta maior risco de desenvolver as formas graves da Influenza A

28 JUN 2009Por 08h:17

        Da redação

                         

Crianças menores de dois anos de idade; idosos (acima de 60 anos); gestantes; pessoas com imunodepressão (por exemplo, pacientes com câncer, em tratamento para AIDS ou em uso regular de corticosteróides), hemoglobinopatias (doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como a anemia falciforme), diabetes, cardiopatia, doença pulmonar ou renal crônica posterguem a viagem para esses países, caso seja possível, tendo em vista ser o grupo que apresenta maior risco de desenvolver as formas graves da doença. O Ministério da Saúde reitera que esta é uma medida de proteção a estes grupos mais vulneráveis para doença grave, não significando caráter restritivo ao comércio ou transito internacional.

 

Segundo a OMS, Estados Unidos, México, Canadá, Austrália, Chile, Argentina e Reino Unido são considerados os países com transmissão sustentada.

 

Ressaltamos que não há proibição nem restrição de trânsito de pessoas entre o Brasil e esses países. A recomendação é uma medida adicional de prevenção, tendo como base critérios epidemiológicos e o aumento, com a proximidade das férias de inverno, da circulação de turistas brasileiros em países com transmissão sustentada da doença.

 

Como vem fazendo, há dois meses, desde que o Brasil foi notificado sobre a transmissão da nova gripe, o Ministério da Saúde continua seguindo rigorosamente as orientações da OMS, que defende a autonomia de cada país em adotar recomendações com base em suas realidades locais.

 

Desde o alerta da OMS, o Ministério da Saúde vem mantendo total transparência sobre os acontecimentos relacionados ao vírus Influenza A (H1N1) e é sua obrigação alertar os brasileiros sobre os locais onde a transmissão deixou de ser limitada.

 

Número de óbitos no mundo

 

Até o momento, 114 países têm casos confirmados e divulgados da doença, de acordo com informações dos governos ou da OMS. Conforme o último relatório, 318 pessoas, de um total de 68.481 que contraíram a Influenza A, morreram.

 

 

Com informações do Portal da Saúde

                         

Leia Também