Sexta, 24 de Novembro de 2017

ESTACIONAMENTO

Motoristas desrespeitam vagas para idosos

13 SET 2010Por 14h:10
anahi zurutuza

Vagas de estacionamento reservadas para idosos no centro de Campo Grande não estão sendo respeitadas. Desde janeiro deste ano, está em vigor a Resolução 303 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina que 5% das vagas em estacionamentos regulamentados sejam destinadas ao uso exclusivo de pessoas com mais de 60 anos. Apesar de no centro da Capital a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) ter feito pintura diferenciada e colocado placa com os dizeres “Exclusivo para Idoso” nos espaços guardados para a população idosa, motoristas que não estão na faixa de idade têm usado as vagas, contrariando a legislação.
Conforme determina a resolução, para que as autoridades de trânsito consigam identificar que o condutor de determinado veículo estacionado nas vagas reservadas para idosos é realmente uma pessoa com mais de 60 anos, é obrigatório que o motorista na faixa etária deixe em local de fácil visualização uma credencial, que, pela regra, tem de ser emitida pelo órgão executivo de trânsito do respectivo município. Em Campo Grande, a Agetran fornece a “carteirinha” gratuitamente.
Contudo, de 1º de janeiro até sexta-feira, segundo a agência, somente 470 credenciais foram emitidas. O número está bem abaixo da quantidade de motoristas de Campo Grande idosos e habilitados, já que conforme estatísticas disponibilizadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Mato Grosso do Sul, são 25.045 pessoas da Capital que possuem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
“Eu me esforcei, fui até a Agetran e tirei a carteirinha para mim e para a minha esposa, que também já é idosa, e estava inconformado porque sempre que eu ia até o centro não consegui lugar nas vagas para idosos. Foi então, que comecei a reparar que as pessoas que estão estacionando nas vagas para idosos não tem o cartão. Isso é um absurdo. Os policiais e a Agetran também têm de ser mais rigorosos com as pessoas que não respeitam os direitos dos outros”, afirma o idoso de 74 anos, que pediu para ter o nome preservado. O pensionista Guilherme Pertussatti, 82 anos, enfrenta a mesma dificuldade. na última semana, no estacionamento em 45 graus no canteiro central da Avenida Afonso Pena, o idoso tentou mas não conseguiu colocar o carro na vaga reservada para a faixa etária. “Eu tento, mas desisto. Para mim, não adiantou nada, eles reservarem para a gente. Nunca consigo estacionar”.
Também no canteiro da Afonso Pena, em frente à Praça Ary Coelho, a reportagem do Correio do Estado flagrou carro estacionado irregularmente na vaga para idosos. No veículo Gol, não havia a credencial exigida pela legislação.

Agetran
O diretor de Trânsito da Agetran, Janine de Lima Bruno, afirma que há fiscalização por parte do órgão, mas, mesmo assim, alguns condutores insistem em não respeitar a norma. “Infelizmente, acontece. Mas, qualquer um que estacionar sem a credencial está sujeito à multa e até remoção do veículo”. O uso das vagas em desacordo com as resolução do Contran será considerado infração leve que prevê multa de R$ 53,21, três pontos na Carteira Nacional de Habilitação e a remoção do veículo.

Serviço:
Para fazer a “carteirinha do idoso” basta ir à Agetran — que fica na Avenida Gury Marques, 2.395 — das 8h às 11h e das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira.

Leia Também