Segunda, 20 de Novembro de 2017

Motorista ignora sinalização e causa tragédia na 163

24 MAR 2010Por 07h:11
O trabalhador Adão Domingues, 35 anos, morreu atropelado na tarde de ontem quando fazia serviços de reparos na pavimentação da BR-163, em Coxim, município que fica a 266 quilômetros de Campo Grande. Os colegas de Adão, Antônio de Jesus, Osmar Bitencourt e Rafael de Oliveira, também foram atropelados e ficaram feridos. Os operários foram colhidos pela Scania com placa de Campo Grande, conduzida por Emerson Gonçalves Borges, 25 anos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a carreta seguia no sentido Cuiabá/Campo Grande e não parou na fila formada por veículos que aguardavam liberação da pista. O motorista seguiu pela contramão, onde outros automóveis trafegavam. Ao tentar ultrapassar a Mercedes-Benz, de placa de Cascavel, Paraná, colidiu com o veículo, atropelou dois operários e ainda bateu em uma máquina usada no trabalho de manutenção da rodovia, que era pilotada por um dos feridos. Emerson Borges declarou ao repórter Sidney Assis que o veículo que conduzia perdeu o freio e por isso não parou na fila. Testemunhas contaram ao repórter que a Scania estava em alta velocidade e muitos operários correram e outros se jogaram para não ser atropelados. Cerca de 30 homens trabalhavam na obra, que estava muito bem sinalizada. Adão morreu no local. Os outros três trabalhadores foram encaminhados ao Hospital Regional de Coxim. O estado de saúde mais grave é o de Antônio de Jesus, que estava na máquina. O motorista que causou o acidente ficou uma hora preso nas ferragens, quebrou uma das pernas e também foi levado para o hospital do município. O condutor da Mercedes-Benz saiu ileso. Segundo a PRF, após receber alta, Emerson Borges será encaminhado à Polícia Civil, procedimento comum a todo autor de acidente com morte. Devido ao atropelamento, a rodovia ficou interditada nos dois sentidos, pelo menos até o início da noite. O congestionamento chegou a cerca de 15 quilômetros, nos dois sentidos da via. Obras Conforme a PRF, as obras de manutenção na rodovia são feitas por empresa terceirizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit). É de responsabilidade da empreiteira a sinalização de que há obras na pista, com cones, placas e os chamados “bandeirinhas”.

Leia Também