Quinta, 23 de Novembro de 2017

Motocross cria categoria para pilotos do País

18 AGO 2010Por 07h:43
Eduardo Miranda

Com apenas um piloto brasileiro, o mineiro Antônio Balbi, na principal categoria do Circuito Mundial de Motocross, os organizadores do GP Brasil desta temporada criaram uma categoria paralela, só com motociclistas nacionais. O objetivo desta nova disputa é trazer a competição para mais perto do público campo-grandense.
Uma categoria especial, de motos de 150 cilindradas antecederá, a partir do próximo sábado, na pista da Capital sul-mato-grossense, os pegas entre os melhores pilotos do mundo nas categorias MX1 e MX2.
A Honda inscreveu quarenta pilotos brasileiros, com idade entre 10 e 17 anos na nova categoria. Assim, os fãs do motocross poderão torcer por um sul-mato-grossense neste fim de semana: Pedro Godoy.
Circuito Mundial
Na disputa do Mundial, os campo-grandenses terão de acostumar-se com nomes de pilotos europeus. São eles que brigarão pelos primeiros lugares na categoria MX1, a principal da competição. O italiano Antônio Cairoli, chega com a possibilidade de conquistar o título da temporada já nesta etapa. Ele lidera o Mundial com 531 pontos, e apenas o segundo colocado, o belga Clement Dasalle, que tem 447, pode atrapalhar seus planos na competição.
Nesta mesma categoria, o basileiro Antônio Balbi conquistou apenas dois pontos, e na 53ª posição, é o penúltimo colocado na temporada. Na MX2, categoria que não conta com pilotos brasileiros, o líder é o francês Marvin Musquim.
Além de Balbi, outros cinco brasileiros disputarão a competição. Todos convidados pelas construturas de motocicletas. O Grande Prêmio Brasil acontece neste fim de semana, em Campo Grande, na pista montada na saída para Três Lagoas.

Leia Também