Sábado, 18 de Novembro de 2017

Mortes por leishmaniose aumentaram 42% neste ano na Capital

6 DEZ 2008Por 09h:10
     

         

A leishmaniose visceral causou 10 mortes de pessoas neste ano em Campo Grande, acumulando aumento de 42% em relação às de 2007. As ações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) conseguiram reduzir em 15% a incidência da doença entre os cães, mas não impediu o aumento da letalidade entre humanos. Contudo, houve redução de 10,8% no número de casos confirmados autóctones, contraídos na Capital.

De janeiro até o início deste mês, a Sesau confirmou 10 mortes causadas pela leishmaniose na cidade, contra sete registradas em 12 meses do ano passado. Em 2007, as autoridades comemoraram queda de 46% em relação aos 13 óbitos registrados em 2006. Desde a notificação do primeiro caso, ocorrida há 10 anos, a doença matou 69 pessoas em Campo Grande.

Conforme a secretaria, a doença tornou-se mais letal neste ano. O índice de mortalidade ficou em 8,6%, contra o percentual de 5% do ano passado, e superou os 8,5% registrados em 2004. É o maior índice dos últimos cinco anos, já que em 2003 12% dos pacientes morreram.

 

Leia Também