Sexta, 24 de Novembro de 2017

Montadoras têm o melhor abril da história no País

1 MAI 2010Por 05h:56
São Paulo

As vendas de veículos em abril bateram recorde para o mês mesmo após o fim do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido. Segundo a Anfavea (associação das montadoras), o mês deve fechar com 280 mil licenciamentos.
O número é menor do que o registrado em março (353.738). O montante registrado no mês passado representa uma marca histórica para o setor e é 14,6% superior ao recorde anterior, que havia sido batido em setembro passado (308,7 mil unidades).
“Abril é um bom mês, considerando a média diária”, afirmou o novo presidente da entidade, Cledorvino Belini, que tomou posse ontem à noite junto com a nova diretoria.
Até quinta-feira, foram vendidas 261.063 unidades. Até o ano passado, o melhor mês de abril em vendas já registrado ocorreu em 2008, com a comercialização de 261.246 unidades.
O desempenho de abril deste ano, no entanto, ainda deve ficar abaixo das vendas de março. De acordo com a previsão da Anfavea, a média diária de vendas esperada para este mês é de 13.700 unidades, abaixo dos 15.380 veículos licenciados por dia em março – a melhor marca da história do setor.
A partir deste mês, os carros a álcool ou flex de mil cilindradas tiveram a alíquota do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) elevada de 3% para 5%. Já nos de até 2.000 cilindradas, o percentual passou de 7,5% para 11%. Para caminhões, a isenção do tributo permanece até junho, quando a alíquota retorna a 5%.
O incentivo, concedido em dezembro de 2008 e que até o final de 2009 valia também para os carros a gasolina, foi uma das principais medidas tomadas pelo governo federal para combater os efeitos da crise econômica e estimular as vendas no setor.
A medida surtiu efeito, e os emplacamentos apresentaram acréscimo de 11,4% no ano passado ante 2008, registrando o terceiro recorde anual consecutivo, com 3,14 milhões de unidades.

Investimentos
Em discurso ontem, Belini anunciou que os investimentos da indústria automobilística brasileira entre 2010 e 2012 devem totalizar US$ 11,2 bilhões. Entre 2007 e 2009, foram US$ 8,1 bilhões.
Os recursos serão direcionados para as áreas de produtos, tecnologia e melhoria de processos. “Somos já um grande player no presente, mas temos que estar estruturados para a nova realidade, com os novos emergentes”, afirmou Belini.

Leia Também