Sábado, 18 de Novembro de 2017

Mocinhos e vilões da alimentação

10 MAR 2010Por 02h:09
Enquanto a medicina busca adequar a alimentação a favor da saúde, aparecem diversas informações sobre os benefícios e malefícios dos alimentos. Um dia, café faz mal. Em outro, pode auxiliar na concentração. O abacate, por exemplo, que era proibido nas dietas de emagrecimento, hoje ajuda a manter o colesterol bom e a eliminar o colesterol ruim. O chocolate, sinônimo de gordura, faz bem ao coração. Até o ovo, vilão para as pessoas com doenças cardiovasculares, é apontado como uma fonte rica em proteínas e vitaminas (veja na próxima página). Com tantas mudanças, a grande dúvida é como aliar tantas descobertas a uma dieta realmente saudável. A dica é simples. Quase todos os alimentos, se produzidos e comercializados adequadamente, são benéficos para a saúde. Cada um exerce uma função importante e contribui para a boa nutrição do indivíduo. Por isso, o problema não está necessariamente no tipo de alimento, mas sim na forma como ele é consumido. “A receita de uma alimentação saudável é o equilíbrio. Todos os alimentos são importantes, desde que façam parte de uma dieta balanceada, para que todas as vitaminas e nutrientes sejam aproveitados”, esclarece o dr. Paulo Henkin, médico nutrólogo, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Ele explica que as pessoas pecam pelo excesso – o que a nutrologia chama de erro alimentar. Para os nutrólogos, os progressos nos estudos científicos são responsáveis por tantas mudanças. “Uma das áreas das ciências da saúde que mais apresenta avanços é exatamente a que envolve a alimentação e a nutrição. A todo instante surgem novas constatações e conclusões e, por consequência, novas orientações dos profissionais”, justifica o médico. A ciência está em constante pesquisa, evolução e transformação. Inúmeros trabalhos estão em andamento em todo o mundo. Assim, na medida em que aparecem as novas tecnologias, associadas a um maior número de estudos, surgem novas conclusões. A alimentação equilibrada é um dos principais responsáveis por uma vida longa e saudável, por isso a grande quantidade de pesquisas que relacionam hábitos alimentares e saúde. “Hoje é possível analisar cada substância e observar os efeitos no organismo. Felizmente agora sabemos que aqueles alimentos deliciosos, que antes eram proibidos, também têm sua parcela benéfica”, aponta o dr. Henkin. “A nutrologia tem papel fundamental na medicina no que diz respeito a orientar o ser humano para uma vida saudável. Enquanto estudos sérios divulgarem novos resultados, somos responsáveis por informar a população”, completa o médico nutrólogo.

Leia Também