Terça, 21 de Novembro de 2017

Ministério proíbe cursos à distância em dois municípios

12 FEV 2010Por 08h:27
Dois polos em Mato Grosso do Sul que oferecem cursos à distância da Universidade Paulista (Unip) foram proibidos pelo Ministério da Educação (MEC) de admitir novos alunos, pois a implantação ocorreu antes do credenciamento junto ao Governo Federal. A instituição teria aberto unidades irregulares em 76 pólos, incluindo um em Jardim e outro em Paranaíba. As medidas cautelares com as decisões foram publicadas na edição de quarta-feira (10) do Diário Oficial da União. A Universidade oferece ensino à distância desde 2004, quando, segundo o MEC, recebeu credenciamento para cursos superiores não-presenciais em 598 polos. Em Mato Grosso do Sul, a Unip oferece vagas para 13 cursos de graduação, como Administração, Ciências Contábeis, Gestão em Recursos Humanos, Gestão em Tecnologia da Informação, Gestão Financeira, Letras, Marketing, Matemática, Pedagogia, Processos Gerenciais, Serviço Social e Superior Técnico em Logística. No site da Universidade Paulista, estão listados 11 polos de educação à distância mantidos pela instituição em Mato Grosso do Sul, sendo dois na Capital e outros nove no interior. O município de Paranaíba está na lista, mas Jardim não. As instituições têm dez dias para se regularizar e hoje deverão posicionarse a respeito da proibição. Os alunos que fizerem as provas de vestibular para ingresso neste primeiro semestre não podem fazer os cursos, conforme orientou o MEC. O Ministério ainda lembra que os estudantes de cursos à distância podem consultar a situação das instituições pelo site http://siead. mec.gov.br. A lém da Un iversidade Paulista, outras instituições como a Universidade Estácio de Sá, O Centro Universitário de Maringá (Cesumar), Faculdade do Noroeste de Minas (Finom) e a Universidade de Santo Amaro (Unisa) também tiveram polos proibidos de realizar vestibulares. Porém, além da Unip, nenhuma das unidades dessas universidades em Mato Grosso do Sul foi afetada. Segundo o Ministério, as Universidades abriram cursos em, pelo menos, 108 polos por todo o Brasil, sem autorização.

Leia Também