Sábado, 18 de Novembro de 2017

Militares assumem controle de cidades afetadas por tremor

3 MAR 2010Por 06h:07
Mais de 14 mil militares tomaram ontem o controle das cidades mais afetadas pelo terremoto de 8,8 graus que abalou o sul do Chile na madrugada de sábado, para conter a onda de saques. Mas a prefeita de Concepción, Jacqueline van Ryselbergher, disse que a situação se acalmou graças à organização dos moradores, que montaram barricadas e se armaram para conter os saques. De acordo com o governo, subiu para 795 o número de mortos pelo tremor. As autoridades ampliaram em mais duas horas o toque de recolher, que ontem passou a vigorar das 18h até o meio-dia de hoje. A presidente chilena, Michelle Bachelet, advertiu que se aplicará “o máximo rigor da lei” aos que cometerem delitos. O Exército tem ordens de atirar para matar em quem não respeitar o toque de recolher. Durante a noite de segunda-feira, pelo menos 60 pessoas foram detidas em tentativas de saques. Em diversos bairros residenciais de Concepción, a noite de segunda-feira e a madrugada de ontem foram de vigília, já que os moradores temiam as gangues que ameaçavam saquear casas. Esse era o caso do bairro Lonque, de classe média-alta, onde homens e mulheres com armas de caça e tacos de beisebol em punho passaram a fria noite atrás de barricadas erguidas para impedir a passagem de saqueadores. Alimentos O Governo do Chile instalou ontem uma ampla rede de distribuição de água, alimentos, cobertores, roupas e outros produtos de primeira necessidade para as vítimas do terremoto que atingiu o país no último sábado. O sistema de distribuição foi montado nos hospitais de campanha NOVA YORK A Nasa, a agência espacial americana, divulgou o que descreveu como as detalhadas imagens da Terra feitas até hoje. As imagens são composições batizadas de Blue Marble (“Mármore Azul”, em português) obtidas com a colagem de milhares de fotografias de satélite de regiões do planeta. Os astrônomos usaram fotografias tiradas do satélite Terra, que orbita a cerca de 700 km acima da superfície do planeta. As imagens são composições batizadas de Blue Marble (“Mármore Azul”, em português) NASA/DIVULGAÇÃO espalhados nas 30 regiões afetadas. Estradas e pontes do país foram destruídas, dificultando ainda mais o acesso às áreas mais atingidas pelos tremores de terra e os tsunamis. Por isso, o material será enviado às áreas mais isoladas do Chile por meio de aviões, duas fragatas e um barco da Marinha. As regiões mais afetadas são o sul e o centro do país. O governo do Chile calcula que aproximadamente 1,5 milhão de casas foram danificadas e 2 milhões de pessoas afetadas pelos tremores. O tremor teve epicentro no mar, a 59,4 km de profundidade, na região de Maule, no centro do país e a 300 km ao sul da capital, Santiago. Número de mortos O número de mortos, vítimas do terremoto de 8,8 graus na escala Richter, que abalou o Chile no sábado passado, chega a 795, afirmou a presidente Michelle Bachelet, ao visitar a cidade de Curicó, no sul do país. O Departamento Nacional de Emergência (Onemi, na sigla em espanhol) enviou à presidente o último balanço de 763 mortos, mas Bachelet o atualizou, pessoalmente, depois da confirmação de outros 32 falecidos. “Acabam de me informar que, em Maule, há 32 mortos”, afirmou. Com isso, o número de vítimas chega a 586 mortos na região de Maule, 92 em Biobio, 48 em O’Higgins, 38 na região metropolitana, 31 na região de Valparaíso e 13 em Araucania.

Leia Também