Terça, 21 de Novembro de 2017

Menor acusado de matar um e ferir outro

18 AGO 2010Por 07h:45
Antonio Viegas, Dourados

Menor de 17 anos é suspeito de assassinar uma pessoa a pauladas, e tentar matar uma outra a tijoladas, ontem, em Dourados. A Polícia Civil está investigando os dois episódios, registrados no início da manhã. Logo após o almoço, os policiais da equipe do Serviço de Investigações Gerais (SIG) prenderam o acusado.
Os dois casos aconteceram na área central de Dourados, cerca de 200 metros um do outro. Populares encontraram, inicialmente, Jair José Pirota Belmut, 49 anos de idade, caído no cruzamento das ruas Camilo Hermelindo da Silva com Antônio Emílio de Figueiredo, próximo ao Terminal de Transbordo.
Como a vítima apresentava ferimentos foi acionada uma equipe do Samu, que constatou que ela já estava morta. Segundo os peritos, o homem recebeu vários golpes de madeira na nuca e na cabeça, o que lhe provocou afundamento de crânio. Jair Pirota era morador na Rua Montese, no Jardim Londrina, bairro localizado próximo ao centro.

Ferido
Ao atender o caso, o Samu foi acionado para atender outra ocorrência, referindo-se a uma vítima também com ferimentos na cabeça, a 200 metros do local do assassinato. Deslocando-se ao endereço indicado os socorristas encontraram Jorge Andrei Paes Silva, 27. O rapaz estava bastante machucado e foi encaminhado ao Hospital da Vida.
Ele contou que havia sido agredido por um garoto que estava armado com um pedaço de tijolo. Com as características do suspeito em mãos, a polícia fez buscas em toda a região central e bairros próximos, até localizar o adolescente. Ele foi conduzido à delegacia do 1º Distrito Policial como suspeito, para prestar esclarecimentos e foi reconhecido pela vítima.
Jorge Andrei relatou aos policiais que o menor, morador na Vila Sulmat, periferia de Dourados, era conhecido como “Caxopa” e disse que no momento em que estava sendo agredido chegou Jair Belmut para tentar socorrê-lo, mas o garoto saiu atrás dele e o golpeou até a morte com um pedaço de pau. A polícia ainda tem vários pontos para esclarecer, inclusive, a possível participação de outra pessoa nos crimes.

Leia Também