Sábado, 18 de Novembro de 2017

Médico aponta riscos em rios, lagoas e piscinas

5 FEV 2010Por 01h:26
Em busca de alternativas para espantar o calor, que vem sendo intenso em várias regiões do Estado, crianças e adultos costumam procurar os rios, lagos e córregos, presentes de forma abundante em Mato Grosso do Sul, para refrescar-se. Porém é preciso redobrar os cuidados para evitar acidentes. O médico pediatra Rubens Trombini recomenda que “Não se deve pular de pontacabeça na água. Se a criança, ou mesmo o adulto, bate a cabeça em uma pedra ou em um banco de areia, pode seccionar a medula espinhal e ficar paraplégico. Sem contar o risco de afogamento”, alertou. Ele também recomendou cuidado por conta das doenças que podem ser transmitidas pela água contaminada, segundo ele, hepatite e verminoses. A recomendação foi motivada pela imagem publicada na edição de quinta-feira do Correio do Estado, em que crianças nadavam no rio Buriti, região do Bairro São Conrado, em Campo Grande. “Provavelmente esse rio não é frequentável por ser contaminado”, disse o pediatra. Ele lembrou que nadar em água contaminada por esgoto pode ocasionar problemas graves de saúde. O médico recomenda que o poder público adote medidas de prevenção, para evitar que pessoas nadem nesses locais. A colocação de placas indicando que o rio não é próprio para banho, seria uma ação importante. “Nunca é demais se atentar para isso”, salientou Trombini, que também orientou os pais para que não permitam que seus filhos nadem em rios e lagos que não conheçam. (BG)

Leia Também