Domingo, 19 de Novembro de 2017

Marisa é cotada para ser vice de Serra na sucessão de Lula

6 MAR 2010Por 03h:49
A senadora Marisa Serrano é cotada, assim como o senador Tasso Jereissati (CE), para compor a chapa puro-sangue do PSDB como candidata a vice de José Serra na disputa pela sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso os tucanos não consigam convencer o governador de Minas Gerais, Aécio Neves. A informação é do jornal o Estado de S.Paulo. Marisa disse que ficaria “orgulhosa” em integrar a chapa de Serra, na hipótese de o partido convocá- la para a missão. “Seria um orgulho, uma honra para mim”, comentou Marisa. “Mas não acredito que isso possa acontecer, haja vista que o mais importante é ter alguém que traga os votos do Norte e do Nordeste do País”, ressalvou a senadora. O nome mais cogitado para fazer dobradinha com Serra, se a parceria com Aécio não vingar, é o do senador Tasso Jereissati, de acordo com o Estadão, “por ele ser do Nordeste e ter trânsito junto ao empresariado”. Marisa seria a segunda opção. Entretanto, a senadora pertence à ala do PSDB que ainda acredita na possibilidade de Aécio concorrer ao lado de Serra. “Ainda tem tempo. Acho que não devemos pressionar o Aécio. Cada um temque saber seu momento e qual a contribuição que pode dar”, opinou. “Se ele optar sair candidato a vice, será muito bom para nós. Mas com Aécio ou sem Aécio, vamos tocar o barco”. Na avaliação de Marisa, a chapa não precisa ser necessariamente “puro-sangue”. O candidato a vice deve ser alguém que agrega o maior número de votos, independente de ser do PSDB ou do DEM - a sigla têm dado sinais de que só abriria mão da vaga para Aécio. “Os democratas nunca colocaram como premissa eles terem a vice-presidência. Sempre colocaram que a ideia é ganhar as eleições com os melhores nomes, seja do DEM ou do PSDB”, afirmou. Aliança com PMDB Sobre a negociação de aliança do PSDB com o PMDB em Mato Grosso do Sul, MaMarisa reafirmou que o partido espera o anúncio formal da candidatura de José Serra. “Tenho certeza de que até lá o governador também já terá decidido (entre apoiar Serra ou a petista Dilma Rousseff para a presidência)”, declarou. Questionada da possibilidade de o juiz federal Odilon de Oliveira concorrer ao Governo do Estado pelo PSDB, na hipótese de o partido não fechar aliança com o PMDB e decidir lançar candidatura própria, Marisa inicialmente negou a existência da sondagem. Segundo Marisa, Odilon foi convidado a ingressar no partido, mas não para ser candidato a governador. “O Azambuja (Reinaldo Azambuja, presidente do PSDB) não disse que estamos convidando Odilon para ser candidato a governador. Até porque estamos em uma aliança com o PMDB e não descartamos a possibilidade de continuar a aliança. Ele não convidaria o juiz Odilon para ser governador”. Depois, ela afirmou que, se o PSDB não viabilizar aliança com o PMDB, o partido vai procurar “o nome que melhor qualifique e que seja aceito pelo BDR” (Bloco Democrático Reformista, formado pelo PPS e DEM, além do PSDB. “Ainda não foi conversado com o BDR. A candidatura própria teria que passar pelo BDR”.

Leia Também