Sexta, 24 de Novembro de 2017

Marido tem a prisão temporária decretada e fica em delegacia

3 JUL 2010Por 00h:15
Vânya Santos

No final da tarde de ontem, a Justiça decretou a prisão temporária do empresário Luís Afonso Santos de Andrade, principal suspeito de ter matado a esposa Eliane Nogueira de Andrade. O corpo da arquiteta foi encontrado no interior de seu carro, um Polo, totalmente carbonizado, na região do Bairro Tiradentes. De acordo com a polícia, o crime teria ocorrido horas depois de o casal ter saído de uma festa, na madrugada desta sexta-feira.
O delegado Wellington de Oliveira, que investiga o caso, explicou que o empresário ficará preso por 30 dias na 4ª Delegacia de Polícia, nas Moreninhas, enquanto a polícia levanta provas, que podem esclarecer as circunstâncias do crime. Caso os 30 dias não sejam suficientes para conclusão da investigação, o tempo da prisão pode ser renovado por igual período. Após o término dos 60 dias Luís Afonso poderá ser liberado ou então ter a prisão preventiva decretada.
Wellington contou que não havia elementos suficientes para prender o empresário em flagrante, mas a prisão temporária foi baseada no fato de o homicídio ter ocorrido de forma cruel, o marido ser o principal suspeito e o seu depoimento ter contradições quando comparado com depoimentos prestados por testemunhas. “As versões não batem”, contou o delegado.
Até o momento, a polícia ouviu o acusado, o porteiro do condomínio, onde a vítima morava e o amigo de Eliane, o arquiteto Luís Pedro Scalise. A partir de segunda-feira (5), parentes da arquiteta serão intimados para depor, segundo o titular. O carro da vítima foi periciado na tarde de ontem e o resultado deve sair em 10 dias. Hoje, equipe do Instituto de Criminalística começa análise para saber se o produto usado para incendiar Eliane foi mesmo gasolina.

Frio
De acordo com Wellington, durante o depoimento o empresário Luís Afonso se mostrou uma pessoa fria para quem amava a esposa. Em nenhum momento chorou e negou ter praticado o crime. Também se apresentou tranquilo quando soube que permaneceria preso pelo menos nos próximos 30 dias. “Ele fala que ama, mas não demonstra”, garantiu o titular.
Ainda conforme a polícia, o acusado confirma que ele e a vítima brigaram depois que saíram da festa. O motivo teria sido o relacionamento que já não dava mais certo. Luís Afonso contou para a polícia que durante o desentendimento Eliane arranhou seu rosto e ele revidou com uma cotovelada.

Leia Também