Quinta, 23 de Novembro de 2017

Mais vida aos cabelos

23 FEV 2010Por 04h:09
De nada adianta reclamar e literalmente se descabelar, o jeito é reparar os danos. Hoje há uma vasta linha de tratamento com produtos que envolvem até a nanotecnologia e que podem ser aplicados em salões de beleza ou em casa, dependendo do grau do estrago. No verão, é natural que os fios fiquem mais ressecados, até mesmo para quem só ficou no ar-condicionado, que todos sabem, tira a umidade do ar. Por isso as hidratações capilares ou reposições hídricas (água) se fazem necessárias para devolver o brilho e a saúde aos fios, principalmente, quando os efeitos da natureza se associam aos produtos químicos, secadores e chapinhas. Muito danificados O tipo de hidratação e o processo adotado dependem do nível de dano das fibras e de cada tipo de cabelo. “Se os fios estiverem muito danificados, além da hidratação, é importante associar outro processo para reconstrução dos fios. Neste caso o processo é dividido em três etapas: na primeira fazemos um peeling capilar, em que enzimas eliminam suavemente as cutículas expostas, preparando o fio para receber a segunda etapa que é da cauterização feita com aplicação de aminoácidos ou proteínas (queratinas, ceramidas e outros). Com isso, deixamos as fibras mais resistentes e preparadas para receber a terceira etapa que seria a hidratação nutritiva com produtos emolientes. Se não fizermos todo esse processo anterior, só gastamos produtos e não temos o efeito desejado. Porque não há como passar massa, pintar uma parede sem antes consertar as fissuras”, compara a cabeleireira Willi Cunha. Atualmente, nos salões de beleza, os ingredientes mais utilizados para hidratação dos cabelos são produtos desenvolvidos com ativador de brilho intenso termoativado, filtro solar, proteínas vegetais e queratina, que são importantes na recuperação e fortificação dos cabelos. Os extratos vegetais e orgânicos mais utilizados são macadâmia, karitê, quinoa, cupuaçu, óleo de damasco e semi-di-lino, que são indicados para diminuir frizz e volume. Com química Segundo Willi, procedimentos como relaxamento, tintura e permanente, são processos químicos que abrem a cutícula dos fios, facilitando a saída de água, proteína e vitaminas. “Por isso, antes de qualquer processo químico aconselhamos a nutrição profunda do fio. A escova definitiva, por exemplo, impermeabiliza o fio, formando uma capa pesada e deixando o cabelo com aspecto liso e brilhoso. Uma vez ‘encapado’ reduz 70% a absorção do produto, então é melhor hidratar e depois impermeabilizar, pois já que os nutrientes não entram também não vão sair depois de feito o alisamento, propriciando um cabelo com química, mas macio e de textura agradável”, explica a cabeleireira. Oleosos Ao contrário do que se possa imaginar cabelos oleosos não são sinônimo de cabelos hidratados, pois a oleosidade fica apenas na raiz, não chegando ao comprimento do fio, no qual o ressecamento é mais visível. Então, o mais indicado é fazer uma assepsia do couro cabeludo (com produtos que contêm microesponjas que absorvem a oleosidade, por exemplo) e só depois hidratar os fios. Geralmente esses cabelos são mais ressecados do que danificados e respondem bem à hidratação simples sem a necessidade de cauterização. A cabeleireira Willi finaliza as dicas ressaltando a importância da manutenção feita em casa, com xampu, condicionador e leavein, indicados para seu tipo de cabelo.

Leia Também