Quinta, 23 de Novembro de 2017

Mais um disco sertanejo do músico Castelo

12 AGO 2010Por 07h:28
Com 26 registros sonoros, lançados ao longo de 4 décadas, entre compactos, LPs e CDs, o músico Castelo é um dos mais importantes nomes da música sertaneja no Estado. Para relembrar parte dessa trajetória e mostrar novas composições, ele lança no domingo, às 12h, na Chácara da Antártica, o novo álbum, “44 anos de estrada”. “Com certeza, quem não conhece meu trabalho poderá ter uma ideia do que eu fiz ao longo dos anos. Coloquei alguns dos meus sucessos e material novo”, destaca Castelo, que gravou o primeiro disco ao lado do irmão, com Trio Serenata, no início da década de 1970. “Era um compacto duplo. Depois fizemos muito sucesso com a música ‘Chê florência’”, recorda. Na sequência, participou da dupla Castelo e Mansão, grupos Carandá e Pantanal.
No total, o novo álbum apresenta 20 faixas, incluindo as regravações de “Garça branca”, outro grande sucesso de sua carreira, e “Coisas do poeira”. No entanto, a maior parte do repertório é constituída de canções novas. Para registrá-las em estúdio, contou com a participação de vários músicos convidados, entre eles, Delinha, Guarani, Mansão, Nelsinho – atual parceiro com quem mantém dupla, Frank, Camponês e Luiz Nascimento. No show, deverá dividir o palco com Delinha, Grupo Pantaneiro, Som do Mato, os sanfoneiros Dom Ramão e Jatobá, Tony de Paulo e Marcony. “Possivelmente outros amigos da música deverão participar do show de lançamento”.
Castelo se define como um adepto do chamamé e da guarânia. Isso não foi esquecido nem durante a temporada que passou no Japão há alguns anos. “Lá fui trabalhar numa fábrica, mas quando podia lembrava das músicas daqui. A ideia desse disco que lanço agora surgiu lá”. Sobre o atual sucesso de artistas sertanejos fora do Estado, diz se orgulhar de ser um dos desbravadores do segmento. “Fico contente de saber que foi a semente que eu, o Amambai e Amambaí, e muitos outros, plantamos no passado, agora frutificou”. (OR)

Leia Também