Quarta, 22 de Novembro de 2017

Mais baratos, venda de pacotes internacionais dispara em MS

11 AGO 2010Por 07h:21
ADRIANA MOLINA

A queda em 30% no valor dos pacotes turísticos fez disparar o número de viagens internacionais em julho, com partidas do Aeroporto Internacional de Campo Grande. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) verificou acréscimo de 40,8% no embarque de passageiros com destino ao exterior no terminal, o que representou cerca de duas mil pessoas a mais que no mesmo período do ano passado saindo do Brasil por Mato Grosso do Sul.
No total, foram 4.856 embarques internacionais em julho de 2009, contra 6.839 no mesmo mês deste ano. Segundo o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Ney Gonçalves, dois fatores contribuíram para esse “boom” no turismo internacional na Capital: a economia estabilizada e o fretamento de voos.
“O atual cenário econômico tem gerado segurança no emprego e as pessoas se sentem mais confiantes para comprar pacotes, principalmente a prazo. Colaboraram também, de forma bem significativa, os valores dos pacotes, que hoje estão bem mais acessíveis, por conta do fretamento de aviões pelas operadoras”, explica.
No ano passado, empresas de turismo de Mato Grosso do Sul começaram a fretar voos para destinos nacionais e internacionais. A ação reduz em 50% os preços das passagens aéreas, porém, o turista tem dia e hora exatos para embarque, não sendo possível transferência de horários e datas sem custos adicionais, pois isso implicaria na troca por um voo comercial, com valor de passagem mais caro que o fretado.
Os preços são menores mesmo em alta temporada, como em julho, quando grande parte dos pontos turísticos internacionais são mais caros. Um dos destinos mais procurados é a Argentina. Bariloche e Buenos Aires lideram o ranking, seguidos de Paris, Itália, México e Chile.
A agente de viagens Regina Cavalcante conta que, depois que começaram os fretamentos de voos, a procura por pacotes internacionais na agência em que trabalha cresceu 40%. “Buenos Aires é a febre”, conta, revelando que é possível chegar ao destino por apenas US$ 300, com voos fretados e tarifas promocionais em hotéis.
Dependendo do destino, é possível parcelar em até dez vezes – outro grande atrativo para o consumidor. E com tantas facilidades, sair do País não é mais privilégio das classes A e B, que, inclusive, deixaram de ser os principais clientes das agências. “O perfil que compra um pacote internacional hoje busca exatamente por voos fretados e parcelamento”, afima Regina.

Leia Também