Quinta, 23 de Novembro de 2017

Lula pode anunciar oficialmente hoje a fábrica da Petrobras

19 FEV 2010Por 08h:25
Nas contas do secretário de finanças, Walmir Arantes, a nova fábrica, somada a outros dois empreendimentos em celulose, vai atrair R$ 7 bilhões, além de criar entre 15 mil e 20 mil empregos na fase de construção. Para o secretário, a cidade cresceu mais rápido do que a capacidade de apuração do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que aponta menos de 90 mil moradores. “O próximo Censo do IBGE tem que mostrar que Três Lagoas já é a terceira cidade do Estado em números de habitantes. Já passamos de 100 mil, e em sete anos seremos 150 mil”, diz Arantes. Consideradas divisoras de águas, as companhias atraíram ainda dezenas de outras empresas menores que se beneficiaram das gigantes. As vendas no comércio cresceram 30%, as exportações deixaram os R$ 15 milhões e se aproximaram dos R$ 400 milhões, e os impostos engordaram, possibilitando uma série de investimentos, principalmente em educação e saúde. “O movimento na rua mudou, o trânsito ficou diferente, tudo evolui com a chegada das indústrias”, conta o presidente da Associação Comercial e Empresarial da cidade, Joaquim Romero Barbosa. Os salários mais altos na construção civil possibilitaram a mudança no nível de vida da população, embora os pagamentos nas indústrias sejam mais baixos do que se esperava. “A expectativa era de que as indústrias pagassem entre dois e três salários mínimos, mas ficou no um e meio”, afirma o secretário de finanças. As exceções são, de novo, as gigantes da celulose e papel, onde os funcionários têm plano de carreira, treinamento e rendimentos superiores a R$ 2 mil. O caixa da prefeitura inchou com a recente industrialização. A arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) saltou de R$ 27 milhões, média de 2004 e 2005, para R$ 53 milhões, em 2008. No mesmo ano, o repasse de Fundo de Participação dos Municípios beirou os R$ 23 milhões, incremento de R$ R$ 8 milhões em relação a 2004. No mesmo período, o recolhimento de Imposto sobre Serviços (ISS) passou de R$ 3,7 milhões para R$ 21 milhões. Com dinheiro na mão, a equipe capitaneada pela prefeita Simone Tebet (PMDB) aumentou os investimentos em saúde de R$ 10 milhões, em 2005, para R$ 21 milhões, em 2008. Construção de escolas, e outros investimentos em educação, saíram dos R$ 7,9 milhões para R$ 20 milhões, também em 2008. “Tudo o que entra de receita, melhora a qualidade de vida da população”, analisa Arantes. Com o fim das obras do complexo, os trabalhadores se foram, levando uma parte do dinheiro que circulava no município. Romero acredita que os salários mais altos dos empregados qualificados minimizou as perdas. Ele aposta na chegada das novas indústrias para reaquecer a economia local. Três Lagoas ainda tem problemas a resolver para continuar na dianteira do Estado na geração de empregos e atração de investimentos. “Não estamos preparados para receber a fábrica da Petrobras, temos problemas com infraestrutura, como saneamento básico e a segurança pública deficientes”, opina o presidente da Associação Empresarial. O secretário de finanças prefere encará-los como desafios. “O governo estadual está investindo mais de R$ 20 milhões em saneamento, e a segurança pública é um problema nacional, que exige mudança de cultura e ação da União e dos estados. Estamos prontos para os novos empreendimentos que vão se instalar aqui”, rebate Arantes. Globais A Fibria produz 1,3 milhão de toneladas por ano, e emprega 730 pessoas em Três Lagoas, na indústria, e outras 2 mil, nas florestas de eucalipto. A unidade de Três Lagoas da International Paper produziu 166 mil toneladas de papel A4 desde que começou a operar, em 2009, 37 mil toneladas a mais que o esperado.

Leia Também