Sábado, 18 de Novembro de 2017

Lula fará campanha de Orcírio se Puccinelli apoiar José Serra

22 FEV 2010Por 03h:38
O convite feito na quintafeira passada ao prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que ele viajasse no Boeing presidencial de Brasília até Três Lagoas, na sexta-feira, teve três fortes motivos. O primeiro deveu-se ao excelente relacionamento do prefeito com o presidente, que atinge grau de estima recíproca. O segundo, para agradecer a definição antecipada de apoiar a candidata do Partido dos Trabalhadores, ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. O terceiro, politicamente a mais importante: comunicar que a eventual preferência do governador André Puccinelli (PMDB) pelo candidato tucano, governador José Serra, de São Paulo, motivará o chefe da Nação a vir a Mato Grosso do Sul fazer, pessoalmente, a campanha do “companheiro”, compadre e amigo José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. O prefeito de Campo Grande e o presidente da República sempre deram-se muito bem. Até demais, na visão dos peemedebistas. É um relacionamento tão especial que chega a ser considerado filial, por um lado, e paternal, por outro. Este sentimento fraterno terminou por resultar em forte apoio, no campo do favorecimento (de obras) em benefício de Campo Grande. E quando anunciou, de forma antecipada, o seu apoio à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata do Partido dos Trabalhadores à sucessão de Lula, o prefeito Trad Filho literalmente consolidou o seu relacionamento, que deixou de ser apenas de simpatia pessoal, para passar ao campo da parceria política. Foi neste clima, muito à vontade e de forma aparentemente despretensiosa, que o presidente Lula avisou Nelsinho Trad de que a montagem de palanque, por parte do governador André Puccinelli a José Serra, eventual candidato tucano à presidência, o obrigaria a assumir, como petista e amigo, a candidatura de José Orcírio. Ele disse que virá a Mato Grosso do Sul fazer corpo a corpo e participar de comício em favor de José Orcírio. A revelação nem teve exatamente tom de ameaça, mas serviu como um tipo de advertência, que certamente foi transmitida ao governador de Mato Grosso do Sul. Aliado a André, Nelson Trad Filho quase garantiu ao presidente que Puccinelli montará, com ele, palanque para a candidata petista, abandonando a possibilidade de apoiar José Serra. Como em política nada pode ser encarado como definitivo, até que se expire o prazo das naturais idas e vindas, melhor será mesmo aguardar a palavra final do governador. Da mesma reunião, participaram, além de Nelson Trad Filho, o senador Delcídio do Amaral (PT) e os deputados federais Vander Loubet (PT) e Dagoberto Nogueira (PDT).

Leia Também