Terça, 21 de Novembro de 2017

Lula e Dilma podem fazer campanha para Orcírio

26 ABR 2010Por 22h:08
FERNANDA BRIGATTI

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu defendeu, ontem, em Campo Grande, a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da pré-candidata a presidente, Dilma Rousseff, na campanha de José Orcírio dos Santos (PT) ao Governo de Mato Grosso do Sul. Isto se o governador André Puccinelli (PMDB) confirmar apoio à pré-candidatura do ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) à sucessão presidencial. “Aqui faremos de tudo para eleger o Zeca (José Orcírio)”, afirmou.

Zé Dirceu, como é chamado pelos petistas, deixou claro a posição de ter André como adversário de todo o PT nas eleições, se realmente ele ficar com Serra. Mas não escondeu o desejo de contar com André no palanque de Dilma Rousseff.
“Quem vai tomar a decisão é o governador André Puccinelli. Ele é soberano. Evidentemente, que se ele apoiasse a Dilma, ele seria bem-vindo. Agora, se a decisão dele é apoiar José Serra, vamos para o debate político civilizado”, disse. Zé Dirceu vai apostar no potencial eleitoral dos petistas para ajudar a Dilma em Mato Grosso do Sul.

Dirceu destacou também que Lula e Dilma apoiarão todos os candidatos do PT nos estados, independente das alianças. Ele acredita se o apoio de Puccinelli se confirmar a José Serra, o presidente e a pré-candidata petista virão a Mato Grosso do Sul. “Se o André Puccinelli apoiar o José Serra, seguramente a Dilma virá e o presidente também”.

No confronto direto com André, o ex-ministro vê grandes chances de vitória de José Orcírio. “Começar com 36% está muito bom e não é para qualquer um”, avaliou Dirceu ao falar, no discurso para a juventude do PT, do potencial da candidatura de José Orcírio na sucessão estadual. A pesquisa a qual o ex-ministro se referiu foi realizada pelo  Ibrape e publicada sexta-feira (23) no Correio do Estado.

O ex-ministro destacou ainda a força eleitoral dos dois pré-candidatos a senador da aliança petista, Delcídio do Amaral (PT) e o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), que lideram a preferência do eleitorado sul-mato-grossense. Delcídio é o preferido por 61% dos eleitores, seguido de Dagoberto com 30%.
Ao comentar a composição da chapa da aliança do PT, Zé Dirceu avalia como competitiva. Ele não tem dúvida das condições de José Orcírio virar o jogo eleitoral na disputa com André Puccinelli. “É uma candidatura muito forte, um governador (referindo-se a Orcírio) que faz por merecer”, declarou. “É só fazer um balanço dos oito anos do Zeca do PT (José Orcírio), que o povo de Mato Grosso do Sul vai chegar a essa conclusão”, acrescentou.
E voltou a destacar o peso eleitoral dos pré-candidatos da aliança PT e PDT. “É uma chapa forte, fortíssima com Dagoberto e Delcídio”, afirmou. Falando para a juventude, Zé Dirceu assinalou: “Você vê a preocupação da juventude, de que o Estado precisa ser repensado”.

Ainda no discurso para a juventude, o ex-ministro disse do novo momento do Brasil. “Vamos dar um salto tecnológico, se agregar valor à agroindústria, continuar avançando como o Zeca fez na infraestrutura, olhar o Mercosul, olhar o Paraguai, olhar a Bolívia e olhar o Brasil”, afirmou.

Leia Também