Quarta, 22 de Novembro de 2017

Lojistas de Dourados fazem horário especial para elevar vendas em 10%

1 AGO 2010Por 21h:16
Cícero Faria, Dourados

Com a previsão de vender, pelo menos, 10% a mais em relação ao ano passado, o comércio de Dourados funcionará em horário especial para atender ao aumento de compras de presentes pela passagem do Dia dos Pais no proximo final de semana. Mas o maior obstáculo para os comerciantes é a concorrência do Paraguai.
O Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista de Dourados informou que as lojas funcionarão na sexta-feira das 8h às 20h, e no sábado das 8h às 18h. O lojista que estender o horário deve fazer um acordo com os funcionários e pagar hora extra, caso ultrapasse a jornada normal de trabalho de 8 horas.
“O empresário deve criar uma tabela com os horários de todos os funcionários que estarão fazendo hora extra; assinar junto com eles e fixar em local visível”, lembrou o presidente do Sindicom, Valter de Castro. Tanto o Sindicato dos Empregados do Comércio como o Ministério do Trabalho e Emprego “estarão atentos aos descumprimentos das normas estabelecidas na Convenção Coletiva de Trabalho 2009/2010”, alertou.
O Dia dos Pais, junto com o Dia das Crianças, são as duas principais datas comemorativas que alavacam as vendas do comércio, antes do Natal. Por isso, muitas lojas já começaram a fazer campanha de mídia, principalmente aquelas que comercializam roupas, calçados e celulares.
O principal problema dos lojistas douradenses é a concorrência com o comércio de Pedro Juan Caballero, segundo disseram ontem alguns empresários ao Correio do Estado. Com o dólar em baixa, o preço de importados fica bastante atrativo, especialmente eletrônicos, produtos de informática, utilidades domésticas, brinquedos e bebidas, os mais procurados no Paraguai.
Dourados está a apenas 115 quilômetros da fronteira, por isso o comércio de Dourados sofre forte concorrência dos paraguaios. As pessoas com maior poder aquisitivo acabam viajando às compras, afetando as vendas nas lojas locais. Os comerciantes douradenses têm respondido questionando a qualidade dos produtos importados, que não têm garantia, e a falta de parcelamento mais longo das compras.
“Mesmo com todas essas dificuldades, o comércio de Dourados tem crescido e aprendeu a conviver com a concorrência de Pedro Juan”, citou o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas(CDL), Jorge Luiz de Souza, que prevê um aumento das vendas de presentes, nesta semana que precede o Dia dos Pais, ao redor de 10%.

Leia Também