Domingo, 19 de Novembro de 2017

Liberados R$ 20 milhões para estragos das chuvas na Capital

7 ABR 2010Por 23h:37
Clodoaldo Silva, Brasília

 O Governo federal liberou ontem os R$ 20 milhões para recuperar os estragos da chuva que destruíram a Capital no início deste ano. O dinheiro é para recuperação das avenidas Nelly Martins, Ricardo Brandão, Fernando Corrêa da Costa,  Rua Joaquim Murtinho e do viaduto da Ceará. O recurso foi assegurado por meio da Medida Provisória 486/2010 publicada no dia 30 de março deste ano.

A confirmação da liberação foi dada ao prefeito Nelsinho Trad (PMDB) e ao deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT/MS) no final da tarde de ontem, em Brasília, pelo ministro do Planejamento,  Paulo Bernardo. “Nós conversamos com o ministro sobre a importância em se liberar rapidamente o dinheiro, em que fomos atendidos”, enfatizou Dagoberto após a reunião.

O prefeito da Capital mostrou-se satisfeito com a decisão, tanto que hoje estará no Ministério da Integração Nacional para ver na Defesa Civil o andamento do projeto de recuperação das vias destruídas. “Amanhã (hoje) vamos na Integração Nacional”, enfatizou Trad, completando que “foi uma vitória para Campo Grande. O presidnete Lula, o ministro Paulo Bernardo e a ex-ministra Dilma Rousseff cumpriram a palavra de que liberariam os recursos”.

No mês passado, Trad e parlamentares federais estiveram na Integração Nacional e conversaram com o ministro Geddel Vieira Lima, que explicou que dependia do Planejamento para liberar os recursos pleiteados pela Capital. Na viagem que fez a Campo Grande, em substituição à ministra Dilma Rousseff na abertura da Expogrande, Bernardo disse que o Governo federal liberaria R$ 20 milhões.

Dez dias depois, no dia 30 de março, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, publicou a Medida Provisória 486/2010, que abre crédito suplementar de R$ 1,429 bilhão no Orçamento da União, sendo que R$ 530 milhões foram destinados ao Ministério da Integração Nacional para atender pessoas e recuperar os danos causados por desastres naturais. É deste montante que saem os recursos para atender a Campo Grande.

Leia Também