Lei proíbe criação de galinhas

DOURADOS AGORA 05/10/2011 00h00

foto
Foto: Hedio Fazan/ Dourados Agora
A Vigilância em Saúde do município de Dourados diz que a criação de animais dentro do perímetro urba

Na próxima quinta-feira (6), vence o prazo para criadores de Dourados (MS) pararem de criar galinhas, porcos, abelhas, pombos e animais selvagens em geral, no perímetro urbano da cidade.

Seguindo a lei municipal (nº 3.459, de 6 de julho de 2011), os fiscais da Vigilância Sanitária irão agir com maior vigor. 

Quando a lei foi publicada no Diário Oficial, os fiscais da vigilância intensificaram visitas nas chácaras e residências onde os animais são criados. A medida preocupa chacareiros e sitiantes da cidade.

Preocupação

Desde que a lei entrou em vigor, os criadores de animais ficaram apavorados. Por medida de segurança de saúde, os fiscais passaram a visitar com mais frequência as residências que criam animais. Todos eles foram orientados sobre a lei. No ato da visita os criadores assinaram uma espécie de termo de consentimento sobre a proibição de se criar os animais na área urbana.

A Vigilância em Saúde do município de Dourados diz que a criação de animais dentro do perímetro urbano é um risco à saúde pública. Alegou que as condições de insalubridade como são criados estes animais afetam a vida de todos. No caso das aves, sem nenhuma inspeção, elas são criadas de forma propícia para o desenvolvimento de doenças como a toxoplasmose ou a leishmaniose.


Compartilhe