Segunda, 20 de Novembro de 2017

“Justiça foi feita, mas vazio ficou”, diz mãe de Isabella

28 MAR 2010Por 01h:03
“A justiça foi feita, mas o vazio ficou. Minha filha não vai voltar”, disse a mãe de Isabella Nardoni, Ana Carolina Oliveira, sobre o resultado do júri que condenou o casal Nardoni pela morte da menina. Ana Carolina falou, na tarde de ontem, por cerca de 20 minutos com repórteres que estavam em frente ao prédio onde ela mora com os pais, na Vila Maria, zona norte da capital Paulista. Ela desceu acompanhada de parentes e da mãe, Rosa Maria Oliveira. Durante toda a entrevista, ficou abraçada a uma menina, filha de uma vizinha. “Minha vida vai entrar em uma nova fase”, afirmou ela. Ana Carolina estava tranquila no início da entrevista, mas ficou abalada e chorou quando falou da filha, morta em 29 de março de 2008. Aparentando muito cansaço, Ana Carolina disse que só conseguiu dormir por volta das 5h da manhã, pois “a adrenalina estava alta”. Ela disse que o juiz Maurício Fossen foi muito competente, e que a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foi justa. Ela afirmou ainda que estava muito confiante nessa condenação, pois todas as provas estavam no processo. Julgamento O 2º Tribunal do Júri de São Paulo condenou, na madrugada de ontem, o casal Alexandre Nardoni, de 31 anos, e Anna Carolina Jatobá, de 26, pela morte de Isabella Nardoni, de 5, em março de 2008. Diante da decisão dos jurados, o juiz Maurício Fossen definiu as penas dos réus: 31 anos, 1 mês e 10 dias para o pai da menina e 26 anos e 8 meses para a madrasta. A defesa já recorreu, mas o casal continuará preso. O casal Nardoni foi condenado por homicídio triplamente qualificado (meio cruel, sem defesa para a vítima e para assegurar impunidade em outro crime), além de fraude processual. Por esse crime, Nardoni e Anna Jatobá pegaram, cada um, mais 8 meses de prisão em regime semiaberto. Na sentença, Fossen afirmou que as penas ficariam acima da base definida no Código Penal em razão da “culpabilidade” do casal e das circunstâncias, em que os réus, disse, demonstraram “frieza emocional e insensibilidade acentuada”. Os dois choraram no anúncio da sentença, principalmente Anna Jatobá, que limpava as lágrimas com as algemas. Ela ficará detida em regime fechado pelos próximos 9 anos, quando terá cumprido dois quintos da pena e poderá pedir o semiaberto. Nardoni terá de cumprir 11 anos de prisão antes de poder requerer o mesmo benefício. O casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foi reintegrado ontem às penitenciárias em que cumprirão pena pelo assassinato da menina Isabella, filha de Alexandre, na cidade de Tremembé (147 quilômetros de São Paulo). Eles já estavam presos nas unidades desde maio de 2008 e retornam agora após a condenação. Júri A reunião dos sete jurados para decidir o veredicto começou por volta das 22h20min de sexta-feira, em uma sala do Fórum de Santana, na zona norte, onde desde segundafeira acontecia o julgamento. Eles tiveram de responder a 30 perguntas feitas pelo juiz, 15 sobre a participação de Nardoni no crime e outras 15 sobre a madrasta de Isabella. Duas horas depois, o juiz leu a sentença. Em frente ao Fórum, cerca de 250 pessoas acompanhavam o fim do julgamento e comemoraram.

Leia Também