Domingo, 19 de Novembro de 2017

Juiz manda prefeitura liberar documentos à CPI

28 JAN 2010Por MARIA MATHEUS22h:31
Medida cautelar expedida pelo juiz Alexsandro Motta, da comarca de Rio Negro, garantiu o acesso de vereadores de Rochedo a documentos necessários para investigação de denúncias de desvio de verbas na administração do prefeito Adão Arantes (PDT). Em setembro, a câmara abriu Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar supostas irregularidades em licitações, concessão de diárias, notas fiscais e contratações de funcionários. Porém, só ontem, com a decisão judicial, os vereadores conseguiram tirar cópia dos documentos que estão na prefeitura. O advogado de Adão Arantes, Naudir de Brito Miranda, argumentou que a prefeitura não forneceu os documentos porque a CPI foi constituída de forma ilegal. “Nenhum dos trâmites regimentais e legais foi seguido. Até hoje não fizeram decreto ou resolução criando a CPI”, alegou. “Eles querem fazer uma devassa no Executivo. A comissão não investiga um fato determinado, não aponta quais procedimentos são supostamente irregulares”, declarou. Conforme os vereadores, a comissão tem até junho para concluir o relatório. “Por enquanto, só existem suspeitas. Ainda não encontramos indícios (de irregularidades)”, disse Arino.

Leia Também